A sétima edição do Miss Ceará Plus Size elegeu vencedoras na noite desta terça-feira, 16. A cerimônia ocorreu no Theatro José de Alencar, no Centro da Capital. Premiando mulheres de manequim superior ao 44, o concurso inclusivo teve a miss Icapuí, Talita Reis, como vencedora. Ela representará o Ceará no Miss Plus Size Brasil, em novembro.

Em segundo e terceiro lugares, respectivamente, estiveram as misses Plus Size Juazeiro do Norte e Horizonte, Sanucia Pereira e Ludmilla Holanda. Na categoria Sênior (35 a 45 anos), a vencedora foi a miss Limoeiro do Norte, Cris Bittencourt.

Elas concorreram com outras 30 modelos, de várias cidades do Estado. Além do título, Talita ganhou vale-compras e uma viagem para Buenos Aires. No júri, estiveram fotógrafos, personalidades, empresários e especialistas em beleza.

“Além de valorizar o corpo GG, nosso propósito é enaltecer a beleza da mulher e resgatar a autoestima delas”, explica Jaqueline Queiroz, idealizadora do evento. 

 Talita Cipriano (Foto: Julio Caesar/O POVO)
Como atração musical, a convidada foi Talita Cipriano, que ficou mais conhecida pelo programa The Voice Kids (Globo), onde foi finalista. Talita é filha de Deise, do grupo Fat Family.

O Povo Online


O Rock in Rio já havia confirmado Iron Maiden, Scorpions, Megadeth e Sepultura para o dia 4 de outubro, a noite dedicada ao rock pesado.

Um dos principais festivais do país será realizado nos dias 27, 28 e 29 de setembro e 3, 4, 5 e 6 de outubro na Cidade do Rock montada no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro.

A venda do ingresso Rock in Rio Card será feita no dia 12 de novembro, às 19h. O preço ainda não foi divulgado.

Será a segunda apresentação de Anitta na franquia. Em junho deste ano, a funkeira fez sua estreia no Rock in Rio Lisboa. "Um dia histórico para todos os funkeiros", disse ela emocionada durante seu show em Portugal.

Um dos principais nomes do cenário musical do Brasil terá a companhia da americana Pink, que sobe a um palco no país pela primeira vez. Ela é responsável por canções como "Who Knew", "Don't Let Me Get Me" e "Just Give Me a Reason".

Já o Black Eyed Peas volta ao país com nova formação. Sem Fergie, o trio conta com Will I Am, Apl.de.ap e Taboo. No repertório, figuram hits como "My Humps", "I Gotta Feeling" e Where Is the Love?". Com informações da Folhapress.



Um dos principais temas nas eleições presidenciais deste ano, a corrupção aparece apenas em quarto lugar entre os motivos que mais mobilizam os brasileiros a participarem de um protesto, de acordo com pesquisa do centro de estudos Pew Research Center divulgada nesta quarta-feira (17).

No país, a mediana -centro de estimativas- de entrevistados que elencam a corrupção no governo como razão para se manifestarem é de 59%.

O número está acima da mediana de 54% observada nos 14 países em que o levantamento foi realizado -foram ouvidas 14.875 pessoas entre 20 de maio e 12 de agosto.

A África do Sul é onde a corrupção mais mobiliza a população, com mediana de 67%. Mas, em nenhum dos países em que a pesquisa foi feita o tema apareceu em primeiro entre os que mais engajaram os entrevistados.

Os principais motivos que levariam as pessoas a participarem de um protesto são o sistema de saúde precário e pobreza, ambos com mediana de 68%.

Em 13 dos 14 países, a saúde de má qualidade aparece em primeiro ou segundo lugar entre os motivos indicados para participar de um protesto.

Nesse sentido, o Brasil se alinha com a maioria dos países: a saúde é a razão apontada por 69% dos entrevistados, enquanto a pobreza teve mediana de 67%. No mundo, os quenianos são os mais mobilizados por saúde (81%).
Com mediana de 66%, a educação de má qualidade também aparece à frente de corrupção entre os motivos indicados por brasileiros para protestar -é o mesmo percentual da mediana dos 14 países.

A Hungria é um caso peculiar na pesquisa do Pew. O país tem as menores medianas em todos os quesitos levantados. Com mediana de 35%, por exemplo, a saúde seria o tema que mais mobilizaria os húngaros. A discriminação aparece em último, com 14%.

Segundo o estudo, alguns tipos de engajamento são mais populares entre jovens, pessoas com nível de educação maior e inclinadas à esquerda e que usam mídias sociais.

Os mais jovens, por exemplo, são mais motivados por liberdade de expressão que os eleitores mais velhos. No Brasil, 73% dos adultos com menos de 30 anos dizem que poderiam se tornar politicamente envolvidos por causa do tema, comparado com 39% dos que têm 50 anos ou mais.

O estudo do Pew identificou ainda uma ligação forte entre educação e participação política. Os resultados indicam que em 13 países, quem tem mais educação está mais inclinado a compartilhar suas visões online.

Em sete países, essas pessoas estão mais propensas a doar dinheiro a uma organização social ou política -no Brasil, três em quatro entrevistados não fariam isso.
Em oito países, as pessoas têm mais inclinação a participar de um protesto político.

No caso brasileiro, os que dizem que estiveram em uma manifestação no último ano somaram 10%, contra 4% na mesma pesquisa de 2014, um ano após os protestos de junho de 2013 contra as tarifas do transporte público e por melhoria nos serviços prestados pelo governo.

Também no Brasil, a mediana de pessoas que compartilharam seus pensamentos em mídias sociais ou outras formas de comunicação on-line no último ano passou de 6% em 2014 para 19% em 2018. Com informações da Folhapress.


O Facebook começou a avisar os brasileiros que tiveram dados acessados por terceiros na tarde de terça-feira (16). Usuários da rede social cujas informações não foram protegidas devido à última falha de segurança da empresa, que atingiu 30 milhões de pessoas, encontram mensagens de aviso ao abrirem a rede social.

Entre os dados acessados estão os cadastrais, como nome, endereço de email, telefone, data de nascimento e localização.

Além disso, informações como tipos de dispositivos usados para acessar o Facebook, local de trabalho, histórico acadêmico, os últimos dez locais onde o usuário fez check-in ou foi marcado por amigos e as pesquisas recentes na plataforma também ficaram disponíveis a invasores.

Hackers conseguiram acessar detalhes cadastrais de 15 milhões de pessoas e dados mais sensíveis de outras 14 milhões.

No dia 28 de setembro, o Facebook informou que uma falha havia deixado 50 milhões de contas vulneráveis.

Os atacantes exploraram uma vulnerabilidade no código do Facebook ligada ao recurso Ver Como, que permite aos usuários verem seu próprio perfil como outros amigos ou pessoas na rede.

Os hackers obtiveram os tokens, que são como chaves digitais, de acesso às contas. Como medida de segurança, mais de 90 milhões de pessoas tiveram que fazer o login novamente.

Depois disso, a empresa informou que coopera com o FBI e que, em razão disso, não pode falar sobre suspeitos do ataque.

A companhia disse que a invasão não afetou outros aplicativos controlados pelo mesmo grupo econômico, como Messenger, Instagram, WhatsApp, Oculus, Workplace, Pages, entre outros.

Especialistas sugerem que usuários tirem printscreen da informação para medidas judiciais, já que o aviso aparece apenas uma vez. O MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) abriu inquérito para investigar como o problema atingiu usuários brasileiros.

Desde o início deste ano, a companhia de Mark Zuckerberg está no centro de discussões sobre privacidade e proteção de dados. O empresário depôs no Congresso americano depois do escândalo sobre o uso irregular de informações pela consultoria americana Cambridge Analytica, que ajudou a eleger o presidente Donald Trump e usou dados de 87 milhões de usuários da plataforma sem consentimento. Com informações da Folhapress.


Três homens armados invadiram, na madrugada desta quarta-feira (17), a Escola Municipal Manuel Eduardo Pinheiro, no Bairro Sabiaguaba, em Fortaleza.

Segundo um funcionário da escola, que prefere não se identificar, o trio armado com revólveres rendeu e agrediu o vigilante, roubou computadores, aparelhos de televisão, mateiral didático e, na saída, comeu toda a comida de professores e alunos.

“Nossa escola foi invadida, levaram tudo, o vigia está machucado. Estão todos assustados. Bateram no vigilante e o deixaram só de cuecas. Levaram ainda televisões e computadores. Até o lanche dos professores eles comeram. Comeram toda a comida antes de deixar a escola”, afirmou o funcionário. Ele relata também que o trio fez pichações dentro das salas de aulas e nos azulejos dos banheiros enaltecendo a facção criminosa Guardiões do Estado (GDE).

Ainda de acordo com o funcionário, após a saída dos bandidos, os professores ligaram para a Polícia, que demorou a chegar.

O professor da escola, Daniel Paixão, lamentou o crime, pois os assaltantes levaram material didático utilizado pelos docentes nas aulas. “Situação muito complicada mesmo apesar da escola estar em uma comunidade tranquila. E ontem (terça-feira) foi surpreendida pela violência. “Além de agredir o vigilante, eles levaram alguns bens preciosos da escola. Levaram material que usamos no ensino pedagógico nas aulas”.

Daniel diz também que, por causa do assalto, as aulas para alguns alunos foram canceladas. "As aulas estão suspensas em parte por causa do ocorrido. Porque muitos alunos nervosos ligaram para os pais e eles vieram buscar os filhos”.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que a PM "atua na área com equipes do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e do motopatrulhamento, além de composições da Força Tática (FT)". Além disso, equipes do Grupo de Segurança Escolar (GSE) e do Grupo de Segurança Comunitária (GSC) "reforçam o patrulhamento pelas vias do bairro e nas proximidades da escola". A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) está investigando o crime.

Já a Secretaria Municipal da Educação (SME) afirmou que "está tomando todas as providências cabíveis para garantir o reforço à segurança na escola e o apoio ao profissional atingido 'pela ação criminosa'. A equipe de Mediação Social esteve na escola e está em contato com a gestão escolar da unidade. Também foram acionados o Grupo de Segurança Escolar da Polícia Militar e a equipe da Inspetoria de Segurança Escolar da Guarda Municipal, que realiza patrulhamentos, permanências e trabalhos preventivos nas escolas municipais de Fortaleza. A SME espera que sejam realizadas as devidas apuração e investigação e que os culpados sejam identificados e punidos".

Diário do Nordeste


Um ônibus escolar se envolveu em um acidente na manhã desta quarta-feira (17/10), na Avenida Paulino Rocha, vizinho a Arena Castelão, no bairro Castelão, em Fortaleza.

O ônibus, que seguia em direção à Avenida Silas Munguba, bateu em poste localizado na via. Com a força da batida, o poste caiu.

Segundo o motorista, ele colidiu após tentar se desviar de um carro que passou repentinamente na sua frente. O motorista sofreu apenas ferimentos leves na perna. No momento do acidente, não havia nenhuma criança no coletivo.

CNEWS


Um incêndio de média proporção atingiu uma fábrica de confecção, nesta quarta-feira (17/10), na Rua Luis Costa Filho, no Bairro Quintino Cunha, em Fortaleza. As informações foram confirmadas pelo Corpo de Bombeiros. O fogo começou por volta das 2h, e seis carros dos bombeiros foram acionados ao local. Nenhuma vítima foi registrada.

Segundo o tenente Capistrano, do Corpo de Bombeiros, por ser uma fábrica, o local tinha material que contribuiu para o incêndio. "O local tinha bastante material inflamável, como tecido, plástico, papelão e óleos para a manutenção das máquinas, e todo esse material está sendo retirado para reduzir a quantidade de fumaça no ambiente e para aos poucos área ser resfrianda", informa.

Além de controlar ainda a fumaça as equipes dos bombeiros continuam na aréa para conter incidentes em outras casas, visto que fábrica é situada entre residências.

A Defesa Civil deve avaliar se a estrutura do imóvel ficou comprometida. A perícia vai apurar quais foram as causas desse incêndio.

G1 CE


Um motorista de aplicativos de carona teria fotografado passageiras que dormiam em seu carro durante uma corrida realizada na cidade de Penápolis, interior paulista, na madrugada do último domingo (14).

Na imagem, é possível ver duas jovens desacordadas com decotes à mostra, exibindo parte de seus seios. Junto com o retrato, o condutor escreveu a mensagem “vim trazer peitinhos” e enviou a colegas da categoria.

O caso se tornou público após a esposa de um dos motoristas ficar incomodada com a mensagem e publicá-la no Facebook, como um alerta às mulheres. Com a postagem, foi grande a revolta entre profissionais da área e passageiros de cidades vizinhas. “Repudiamos ações como essa, ele não representa a categoria”, afirma Tiago dos Reis, presidente da Associação dos Motoristas por Aplicativo de Araçatuba e Região, da qual o motorista identificado apenas como William não participa.

A entidade lançou uma nota sobre o caso afirmando que “nenhum comportamento dessa natureza é aceitável e tolerado”. Confira o texto completo:

               

Revista Veja S. Paulo

Rio - Um problema de saúde de Simaria fez com que a dupla com Simone se afastasse dos palcos por um tempo. A cantora teve tuberculose ganglionar, fato que a obrigou a parar de cantar de abril a agosto deste ano, para passar por tratamento.

Desde então, Simone e Simaria estavam afastadas dos holofotes. Nesta terça-feira, elas surpreenderam os fãs em aparição durante uma campanha publicitária na TV, com a presença do pequeno Henry, fruto do casamento de Simone e Kaká Diniz.

No mês passado, a cantora voltou a se sentir mal e foi encaminhada ao hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde passou o fim de semana fazendo exames. Alguns compromissos foram mantidos, mas as apresentações tiveram de ser suspensas. Ainda não há datas para novos show da dupla.

Na ocasião, Simaria publicou, no perfil dela no Instagram, que deveria se afastar novamente dos palcos por problemas de saúde. "Não é fácil ter que parar mais uma vez. Dei, como sempre, o melhor de mim, mas infelizmente ainda não estou pronta para voltar à estrada com a agenda de shows", escreveu.

Jornal O Dia



Na última segunda-feira, 15 de outubro, a Globo exibiu após a novela Segundo Sol, o primeiro capítulo da série Assédio, que foi criada especialmente para o Globoplay. A produção foi inspirada no livro A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih, de Vicente Vilardaga, que conta a história do médico brasileiro que foi condenado a 278 anos de prisão por estupro contra quase 40 mulheres no ano de 2010.

Na série escrita por Maria Camargo, o ator Antonio Calloni interpreta o protagonista, e na exibição da Globo feita para a TV aberta, o destaque também foi para a atriz Adriana Esteves. A intérprete da vilã Laureta de Segundo Sol ganhou inúmeros elogios dos internautas graças a sua atuação no episódio, e especialmente, na cena tensa de estupro que foi retratada. O intuito da emissora é fazer uma pesada divulgação de Assédio para que o público veja todos os episódios após assinar o GloboPlay.

Pensando nesse tema incômodo, nós do TV Foco, elaboramos este especial onde relataremos as famosas da Globo e da Record que não se controlaram e revelaram os casos de assédios sexuais que sofreram na vida real. Confira:

XUXA
Atualmente, a apresentadora é uma das grandes estrelas da Record TV sob o comando do Dancing Brasil. Antes disso, no ano de 2012 quando estava na Globo, Xuxa concedeu uma entrevista reveladora para o Fantástico no quadro O Que Vi Da Vida. “Na minha infância, até a minha adolescência, até os meus 13 anos de idade, foi a última vez”, revelou o abuso que sofreu na infância. “Não foi uma pessoa, foram algumas pessoas que fizeram isso. E em situações diferentes, em momentos diferentes”, contou.

SANDRA ANNENBERG
A apresentadora do Jornal Hoje e do programa Como Será?, além de ser uma das jornalistas mais queridas do Brasil, Sandra Annenberg, há algum tempo, quando o caso do assédio do ator José Mayer explodiu na mídia, ela concedeu uma entrevista para a revista Contigo. Nela, Sandra revelou: “Eu fui discriminada, sofri preconceito, sofri assédio sexual, como todas as mulheres, mas eu fui reagindo”.


LETÍCIA SABATELLA
A atriz de várias produções da Globo, Letícia Sabatella, no ano de 2015, participou da campanha “Meu Primeiro Assédio” e deixou o seu público surpreso ao dizer que sofreu abuso quando tinha 12 anos. Quando voltava para a sua casa, depois de uma aula de balé, ela foi abordada por um senhor em um carro e para se defender do ataque dele, ela recorreu a um tijolo. Letícia terminou o relato afirmando: “Quando o vi desaparecer da minha vista, corri até minha casa, coração a mil, um nojo daquilo, a minha forma de medo”, disse.

TV Foco




Gecilda “Cida” Silva dos Santos, campeã do Big Brother Brasil 4, abriu o coração ao falar sobre sua condição financeira atual durante o Domingo Show, exibido no domingo (14/10). Ao programa, a ex-BBB revelou como perdeu toda a fortuna adquirida no reality da TV Globo.

De acordo com Cida, tudo aconteceu após ela se envolver em um problema de aluguel de uma casa. “Eu nem gosto de falar muito, eu conheci uma pessoa que se dizia assessora e essa pessoa me pediu pra eu ser fiadora de uma casa, alugar pra ela”, contou.


“Eu fui fiadora dessa pessoa e, resumindo: ela não pagou o aluguel da casa em que estava, me colocaram na Justiça. Fizemos um acordo e eu gastei um dinheirão na reforma da casa. E o acordo que fizemos era ela tirar meu nome no processo. Eu gastei o dinheiro que eu tinha todo e ela não tirou. Ela agiu de má fé comigo”, relembrou Cida.

A campeã do reality chorou ao comentar o caso, afirmando não ter superado o trauma. “Hoje em dias as pessoas só pensam em bens materiais, em dinheiro, mas tem gente que se aproveita muito dos outros. Eu perdi a casa, foi à leilão. A verdade é essa”, concluiu ela, que tem 35 anos.


Metrópoles



A apresentadora havia pedido o reconhecimento da criação do fantoche, além de uma indenização de R$ 650 mil e os direitos autorais
(Foto: Divulgação/Globo)
A 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou a Justiça de São Paulo julgar uma ação na qual a apresentadora da TV Globo Ana Maria Braga pleiteia indenização de dois artistas que teriam reivindicado a “maternidade” do Louro José. Em sessão nesta terça-feira (16/10) os ministros da Corte decidiram que Ana Maria pode questionar os direitos autorais sobre o boneco na Justiça.

A apresentadora havia pedido o reconhecimento da criação do fantoche, além de uma indenização de R$ 650 mil e os direitos autorais. A 1ª instância da Justiça em São Paulo rejeitou o processo movido por Ana Maria e pelo ex-marido contra os dois artistas.

A relatora da ação no STJ, ministra Nancy Andrighi, votou para que o processo retorne a seu andamento regular na 1ª instância. A ministra foi acompanhada por seus pares, por unanimidade.

Estadão Conteúdo


Rio - A Polícia Federal indiciou o presidente Michel Temer, a sua filha Maristela de Toledo, o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), o coronel reformado da Polícia Militar João Baptista Lima Filho (amigo do presidente conhecido como coronel Lima) e arquiteta Maria Rita Fratezi (mulher do coronel), além de executivos da Rodrimar e do grupo Libra no âmbito das investigações do inquérito dos Portos, que apura se houve favorecimento a empresas do setor portuário na edição de um decreto de 2017.

Ao todo, 11 pessoas foram indiciadas pela PF, que entregou nesta terça-feira, 16, a conclusão das investigações ao gabinete do ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso.

A Polícia Federal também pediu a Barroso o bloqueio de bens de todos os indiciados - inclusive de Temer - e a prisão preventiva de quatro deles: do coronel Lima e sua mulher, além de Carlos Alberto Costa e Almir Martins Ferreira, que atuaram respectivamente como sócio e contador do coronel. O ministro vai aguardar um parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) para decidir sobre esses pedidos. A PGR tem 15 dias para se manifestar.

Segundo Barroso, o relatório da PF aponta a ocorrência dos crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A organização criminosa seria dividida em quatro núcleos: político, administrativo, empresarial (ou econômico) e operacional (ou financeiro).

Em seu despacho, o ministro destaca que a PF afirmou ter produzido provas de "naturezas diversas" que "incluíram colaborações premiadas, depoimentos, informações bancárias, fiscais, telemáticas e extratos de telefone, laudos periciais, informações e pronunciamentos do Tribunal de Contas da União" sobre as irregularidades no decreto dos Portos.

A PF, diz Barroso, teria apurado fatos ao longo do inquérito "envolvendo propinas em espécie, propinas dissimuladas em doações eleitorais, pagamentos de despesas pessoais por interpostas pessoas - físicas e jurídicas -, atuação de empresas de fachada e contratos fictícios de prestação de serviços, em meio a outros." A reportagem está entrando em contato com os indiciados para saber se eles vão se pronunciar.

Histórico
O inquérito dos Portos foi instaurado, em setembro de 2017, a pedido do então procurador-geral da República Rodrigo Janot. Ao autorizar a abertura da investigação, Barroso pontuou que "os elementos colhidos revelam que Rodrigo Rocha Loures" menciona pessoas que poderiam ser intermediárias de repasses ilícitos para o próprio presidente da República, em troca da edição de "ato normativo de específico interesse de determinada empresa, no caso, a Rodrimar S/A".

Ainda em dezembro de 2017, o delegado Cleyber Malta solicitou pela primeira vez a prorrogação da investigação. A investigação foi prorrogado por outras quatro vezes e durante seu andamento passou por percalços que resultaram na queda no então diretor-geral da Polícia Federal Fernando Segovia. Em entrevista à agência Reuters, em fevereiro deste ano, Segovia disse que a tendência era que o inquérito fosse arquivado por falta de provas. A declaração causou uma rebelião entre os delegados do grupo que atua perante o STF e resultou a saída de Segovia do comando da PF.

Após o desentendimento e a saída de Segovia, o delegado Malta continuou com a investigação e fechou o cerco sobre as relações entre o presidente Temer e o coronel Lima. Em março, em um desdobramento da apuração, a PF chegou a prender o coronel Lima, o ex-assessor de Temer José Yunes e executivos da Rodrimar e do Grupo Libra.

A ação foi batizada de operação Skala e conseguiu amealhar informações sobre a relação de Temer e o coronel Lima. Dentre eles, a PF conseguiu traçar uma ligação entre a reforma na casa de Maristela Temer, filha do presidente, e o coronel.

Chamado para depor, o engenheiro Luis Eduardo Visani, responsável pela obra, confirmou ao delegado Malta que a obra foi paga "em dinheiro vivo", na sede da Argeplan, empresa do coronel. "Que os pagamentos, de fato, totalizaram aproximadamente R$ 950 mil, conforme cópia de recibos apresentados, os quais foram recebidos em parcelas diretamente no caixa da empresa Argeplan", relatou Visani.

O Dia




O que é ser um paizão? Você pode pensar em mil respostas, mas o que o caseiro José Paixão Fernandes fez sem dúvidas se encaixa nesta definição.

Casado e pai de dois filhos, ele decidiu construir uma casinha para não ver a filha esperando o ônibus escolar debaixo de chuva — e não poupou nada no capricho. O "ponto" tem telhado, janela, piso, um banquinho para garantir o conforto e até flores.

A família vive em uma chácara na zona rural de Palmas, no Tocantins. Em entrevista ao Jornal Anhanguera, seu José disse que enxerga a atitude como um incentivo para que Natália, de 8 anos, e Josué, de 4 anos, continuem indo à escola e estudem.

Com um apoio desses, fica mais fácil, não é?

Reprodução/TV Anhanguera

Metro Jornal





Imagens de câmeras de segurança mostram quando o porteiro Guilherme Alves Pereira, de 23 anos, morto a tiros por um vigilante após uma discussão no sábado (13/10). Antes das cenas mostradas, segundo a Polícia Civil, eles brigaram por causa de uma bolinha de papel que não teria sido jogada no lixo.

As informações são da TV Anhanguera, afiliada da TV Globo.

Na gravação é possível ver o segurança atirando no colega de trabalho. O crime ocorreu em Itumbiara, no sul de Goiás, e o vigilante Wallas Gomes de Lima, de 27 anos, é considerado o principal suspeito do crime.

“O vigilante atirou uma bola de papel no lixo da guarita do porteiro, que pediu que ele catasse. Eles iniciaram uma discussão, a certa altura o vigilante colocou ele de costas e atirou na cabeça dele”, disse o delegado responsável pelo caso, Ricardo Chueire.

O crime aconteceu por volta das 4 horas do sábado no imóvel localizado na Avenida Furnas. Após o crime, o suspeito guardou a arma no cofre da empresa e deixou o local.

A empresa responsável pelos funcionários lamentou, em nota, a morte do porteiro e informou que “as medidas possíveis para evitar e prevenir tal fato são e sempre foram tomadas, como: treinamento apropriado, cursos, checagem de antecedentes, reciclagem, testes psicotécnicos e acompanhamento psicológico dos profissionais”.

Metrópoles



O Brasil encarou uma renovada Argentina, em amistoso disputado nesta terça-feira (16), em Jeddah, na Arábia Saudita, e voltou a apresentar um desempenho decepcionante. Mas foi salvo por Miranda, que garantiu o triunfo por 1 a 0 já nos acréscimos do segundo tempo e manteve os 100% de aproveitamento da seleção após a Copa do Mundo da Rússia.

O clima de clássico tão citado de ambos os lados ficou apenas nas jogadas mais ríspidas e o que se viu em campo foi um futebol muito aquém da história deste confronto. O empate por 0 a 0 representava bem o que se viu em campo, mas na jogada aérea, aos 47 da etapa final, a seleção arrancou a vitória.

Foi mais uma atuação fraca da equipe de Tite depois da decepção na última Copa do Mundo. Antes, a seleção havia obtido três vitórias em três amistosos, mas contra os fracos Estados Unidos, El Salvador e Arábia Saudita, sem empolgar em nenhuma destas partidas.

Talvez buscando este combustível ofensivo, Tite inovou nesta terça e escalou Roberto Firmino e Gabriel Jesus juntos no ataque. Não deu certo. Jesus mostrou dificuldade para buscar jogo pela direita, enquanto Firmino pouco apareceu. A seleção, então, mais uma vez dependeu exclusivamente de Neymar, e em meio a outra atuação irregular do astro do Paris Saint-Germain, pouco criou mesmo diante de uma Argentina sem Lionel Messi, Agüero, Di María e Higuaín.

O jogo até começou bastante pegado, com a seleção acionando Neymar e o brasileiro sendo calçado. Foram três faltas sofridas nos primeiros minutos, o que não mudou o comportamento do jogador. Ele seguiu buscando a bola no campo de defesa, tentando os lances, quase sempre de forma individual, e sofrendo com a falta de espaço.

A primeira chegada, no entanto, foi da Argentina. Aos sete minutos, Casemiro errou na tentativa do domínio e a sobra ficou com Lo Celso, que bateu da meia-lua, à esquerda de Alisson. O primeiro lance de perigo do Brasil aconteceu somente aos 27. Miranda recebeu cruzamento da esquerda, dominou e encheu o pé. A bola passou por Romero, mas Otamendi salvou em cima da linha.

O Brasil parecia desentrosado, com Jesus e Firmino encontrando dificuldades para jogar juntos. Coutinho, bem marcado, também estava sumido, o que deixou a equipe dependendo de Neymar. E até pela falta de companhia, o atacante insistia demais nas jogadas individuais, o que minava as possibilidades da seleção.

Dybala, em cobrança de falta, teve o último bom momento do fraco primeiro tempo. E quando se esperava que o Brasil crescesse depois do intervalo, foi a Argentina que criou as melhores chances da partida até então.

Logo com um minuto, Lo Celso tentou de cabeça e parou em Alisson. Aos cinco, Icardi recebeu em profundidade, cortou a marcação e bateu travado, também com perigo. No lance, Danilo se contundiu e deixou o campo sentindo muitas dores no tornozelo esquerdo.

Somente quando Neymar voltou a encontrar espaço, o Brasil incomodou novamente a Argentina. Aos 23 minutos, ele arrancou, fez boa jogada pela esquerda e cruzou para a área. Richarlison, que acabara de entrar, tentou na segunda trave, mas mandou para fora. No minuto seguinte, o atacante do PSG cobrou falta ensaiada para Arthur, que encheu o pé e parou em Romero.

Os últimos minutos foram de um Brasil mais ofensivo, dono da posse, mas totalmente sem criatividade. Casemiro tentou em cobrança de falta de longe, que desviou na barreira e raspou a trave. Mas, nos acréscimos, Neymar cobrou escanteio da esquerda na cabeça de Miranda, que se antecipou a Romero e definiu a vitória brasileira.

Estadão Conteúdo




Os dados não correspondiam a nada do que Margaret Kivelson e sua equipe de físicos poderiam imaginar. Era dezembro de 1996, e a espaçonave Galileo acabara de sobrevoar Europa, uma lua gelada de Júpiter. As leituras que haviam voltado para a Terra sugeriam que um campo magnético emanava da lua. Europa não deveria ter um campo magnético, e no entanto, lá estava ele – e nem sequer apontava para a direção certa.

“É algo inesperado e maravilhoso!”, disse Margaret.

Seria a mais significativa de uma série de surpreendentes descobertas nas luas do planeta. Para a equipe de Margaret Kievelson, a missão não poderia ser mais entusiasmante. Jamais se podia supor que o magnetômetro da especialista mudasse o curso da exploração espacial.

E no entanto foi o que aconteceu. Margaret Kievelson logo provaria que sua equipe havia descoberto o primeiro oceano de água salgada embaixo da superfície de um mundo distante.

Há 40 anos, a professora emérita de física espacial da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, participa ativamente de quase todas as principais viagens da Nasa além do cinturão de asteroides.

Sua equipe transformou a utilização dos magnetômetros nas missões espaciais, tornando-os uma ferramenta essencial para novas descobertas.

Nos últimos tempos, a Margaret vem trabalhando como coinvestigadora no instrumento de ondas plasma da missão Europa Clipper, na próxima grande viagem da Nasa ao sistema solar exterior. Com lançamento previsto para 2022, a espaçonave estudará a habitabilidade da lua oceânica de Júpiter.

Mas a história começou com os encontros inusitados da Galileo com as luas de Júpiter. Foi possível constatar que a imperscrutável Europa tinha uma maneira própria de se comportar.

“Nós tínhamos uma porção de ideias erradas”, afirmou Margaret. Anos depois do primeiro sobrevoo, eles encontraram sua resposta.

Margaret Kivelson nasceu em Nova York em 1928. Seu pai era médico, a mãe, professora. Ela estudou em Harvard “em uma época em que a física era considerada um dos campos mais interessantes. Foi pouco depois da Segunda Guerra Mundial”, disse. “Os físicos salvaram o mundo com a bomba atômica e o radar. E de repente, as pessoas se davam conta de que a física não era apenas uma disciplina maravilhosamente fundamental, mas era também útil”.

Em 1967, ela ingressou na U.C.L.A. e logo se tornou muito conhecida na física espacial por seu trabalho teórico sobre algumas das ideias mais fundamentais desse campo.

A sonda Gaileo entrou em órbita ao redor de Júpiter em 1995 transportando um magnetômetro proposto por Margaret Kivelson. A primeira descoberta importante da equipe foi um campo magnético interno em Ganimedes, a maior lua de Júpiter. Então vieram os encontros entre Europa e Galileo.

Os geólogos suspeitavam que a lua gelada tivera antigamente um oceano embaixo da superfície, mas não sabiam se ele ainda existia ou congelara, solidificando-se. E o mistério continuaria, não fosse pelos dados recebidos pelo magnetômetro da sonda Galileo.

Margaret e a equipe postulavam que, como Europa se movimenta no campo magnético de Júpiter, uma corrente percorre um condutor em baixo da superfície da lua, criando um campo magnético invertido em miniatura, opondo-se ao campo de Júpiter. Entretanto, a hipótese não era conclusiva. Era possível que Europa tivesse seu próprio campo magnético.

Como o equador magnético de Júpiter tem uma inclinação de 10 graus, às vezes Europa está acima dele, outras vezes abaixo. A equipe precisava, então, de medições quando Europa se encontrava do outro lado da inclinação.

Se o campo magnético da lua mudasse de direção, isso significaria que o campo havia sido induzido por Júpiter – e, portanto, possuía um condutor interno. A única coisa que poderia fazer isso seria um oceano de água salgada em baixo da superfície.

Margaret Kivelson defendeu no projeto Galileo que seria preciso que a sonda realizasse um sobrevoo com uma orientação específica – um pedido considerável por se tratar de uma espaçonave com recursos limitados que voava com o tempo praticamente esgotado. Ela foi atendida, e o sobrevoo de janeiro de 2000 descobriu precisamente o que os modelos feitos por sua equipe haviam previsto: uma evidência definitiva de um oceano global.

“Esta é uma das descobertas mais fundamentas da ciência planetária”, afirmou Louise Prockter, diretora do Instituto Lunar e Planetário de Houston, Texas. “Isso gerou uma verdadeira revolução”.

Segundo Robert Pappalardo, cientista de projetos da missão Europa Clipper da Nasa, a descoberta teve ramificações para todo o sistema solar.

“Realmente fez com que se cogitasse na plausibilidade da existência de oceanos em mundos gelados”, disse. “Então da incerteza passamos rapidamente para a quase certeza e depois indagamos, ‘o que mais agora?’. Foi uma transição muito rápida, considerando que o termo ‘mundo oceânico’ não existia na época. Agora, ele constitui uma classe de objetos, graças ao trabalho fundamental de Margy”.

Estadão Conteúdo




Morreu na manhã desta terça-feira (16) o comunicador e radialista Gil Gomes aos 78 anos de idade. Ele enfrentava uma série de complicações nos últimos dias e uma luta contra um câncer no fígado. Pelo que havia sido comunicado pelo programa Balanço Geral, ele andou internado e perdeu muito a vitalidade e as forças, contando apenas com o apoio da sua família.

Gil Gomes era jornalista e uma das suas últimas aparições foi no Domingo Show, da Record. Ele sofria com mal de Parkinson, e em uma declaração de 2016, disse que sofreu no período que estava longe do trabalho. “Tanta coisa que vivi, senti, chorei. Sou chorão e quando choro eu me revolto. Passei os últimos seis anos sentado em uma poltrona, esperando a morte, mas agora voltei e estou feliz”, contou ao programa “Sensacional”, da RedeTV.

O apresentador relembrou a época que fazia jornalismo policial no rádio e disse que chegou a ser preso mais de 30 vezes durante o regime militar.  “Terminava o programa e a viatura da Polícia Federal vinha me buscar. Só que eu era amigo do [político] Romeu Tuma e sempre saía”, disse. Inclusive, Gil relembrou a situação que lhe deixou mais assustado.
 
(Fotos: Reprodução)
“Trabalhava na rádio e recebi um telegrama dizendo que tinha apenas 30 dias de vida. No outro dia, recebi mais um, escrito ’29 dias de vida’, e começou uma contagem regressiva. Quando faltavam 12 dias, mataram meu gato, envenenado. Depois daí, a contagem acabou e não aconteceu nada, mas eu tenho uma mania de valente”.

Demais detalhes sobre o velório e enterro ainda não foram divulgados.

TV Foco