Polícia prende família de mulher acusada de matar vizinha a facadas

Por: Ipu Online em | 24.1.18 | 0 comentários

Pai, marido e a madrasta de Angélica da Cruz, de 27 anos, foram indiciados por homicídio e capturados nesta quarta


O pai, o marido e a madrasta de Angélica da Cruz, de 27 anos, acusada de assassinar a golpes de faca uma vizinha, no Monte Cabrão, na Área Continental de Santos, também indiciados pelo homicídio, foram capturados no final da tarde desta quarta-feira (24). O crime ocorreu no dia 13.

A pedido do delegado Marcos Alexandre Alfino, do 1º DP de Santos, o juiz Alexandre Betini, da Vara do Júri de Santos, decretou as prisões preventivas de Francisco de Assis da Cruz, de 48 anos, Ronaldo Pereira dos Santos, de 23, e Solange Cristina da Luz Cruz, de 40, respectivamente, pai, companheiro e madrasta de Angélica.

O promotor Fernando Reverendo Vidal Akaoui se manifestou favorável ao requerimento do delegado. Ao concluir o inquérito policial, Alfino também requereu a preventiva de Angélica, tendo o pedido deferido pelo juiz. Inicialmente, a jovem teve a prisão temporária de cinco dias decretada.

Delegado Marcos Alfino pediu as prisões preventivas dos parentes da acusada (Foto: Rogério Soares/AT)
Acompanhada de advogado, Angélica se apresentou no distrito no último dia 18 e alegou que agiu em legítima defesa. Em entrevista exclusiva para A Tribuna, a acusada contou que estava na barraca de frutas de sua família, em frente à casa onde mora, quando chegaram Érica Oliveira da Silva, de 24 anos, e três irmãs dela.

Érica e as irmãs também possuem barracas de frutas. Elas portariam facas e teriam atacado Angélica por causa desentendimentos que mantinham entre si, conforme a versão da acusada.

Angélica se apresentou no último dia 18 e alegou que agiu em legítima defesa (Foto: Rogério Soares/AT)
No entanto, Érica foi esfaqueada e não resistiu aos ferimentos. Débora Oliveira da Silva, de 32 anos, e Daniele Alves de Oliveira, de 27, as suas irmãs, também foram golpeadas, sendo hospitalizadas.

“As sobreviventes afirmaram em depoimento que Angélica contou com o auxílio do pai, da madrasta e do marido, que seguraram a vítima fatal para que ela pudesse matá-la”, declarou Alfino.

Ainda de acordo com o delegado, “sem a colaboração dos demais indiciados, Angélica também não conseguiria, sozinha, esfaquear Débora e Daniela”. De posse dos mandados de prisão preventiva, a equipe do investigador Sérgio Douglas foi ontem à tarde à residência dos acusados, que acabaram detidos.

     

A Tribuna

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.