PT ignora decisão e lança Lula pré-candidato à Presidência

Por: Ipu Online em | 25.1.18 | 0 comentários

Após a condenação, o partido se reúne para discutir os próximos passos e reafirmar o nome do ex-presidente nas eleições de 2018


Enviada especial a São Paulo (SP) – O Partido dos Trabalhadores reafirmou a intenção de lançar o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à Presidência da República, em ato realizado nesta quinta-feira (25/1), na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em São Paulo.

Lula e a também ex-presidente Dilma Rouseff participam do evento, que foi aberto pela senadora e comandante da legenda, Gleisi Hoffmann. “Faremos um ato político lançando a pré-candidatura do Lula à Presidência da República”, afirmou a líder. Enquanto isso, o público gritava: “Brasil urgente, Lula Presidente”.

Gleici, então, colocou em votação o nome de Lula como pré-candidato. A aprovação foi unânime.

Na sequência, Dilma Rousseff falou aos presentes. Ela criticou a falta de experiência do apresentador Luciano Huck, que tem sido cotado para candidato à Presidência da República. “Eu não tenho nada contra aquele apresentador, o Luciano Huck. Até acho ele simpático, mas é claro que não tem estrutura nem experiência para ser presidente desse país”, afirmou a petista.

Depois, Lula comentou o revés que sofreu no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. “Obviamente que não estou feliz, mas eu duvido que algum deles (desembargadores) que me julgaram estão com a consciência limpa como eu estou aqui. Só ontem eu percebi como eles (Judiciário) são um cartel, pode até chamar o Cade”, atacou o ex-presidente.

A única coisa que eu posso oferecer é a minha inocência. Jesus Cristo foi condenado à morte e olha que, naquele tempo, não tinha empreiteira, não tinha impeachment. Claro que vão falar que o Lula se compara a Cristo, longe disso. Mas eu quero mostrar que precisamos analisar as coisas”"

Lula
Antes de Lula e Dilma, o ex-ministro da Justiça no governo Dilma, Eugênio Aragão, disse, em seu discurso, que o partido recorrerá da condenação imposta na quarta (24) e que, por enquanto, Lula não está inelegível.

O ex-ministro voltou a atacar os desembargadores que aumentaram a sentença do ex-presidente pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. “Ontem, eles (desembargadores) funcionaram mais como advogados do (juiz Sérgio) Moro do que como magistrados do TRF-4”, atacou.

Participação do DF

Um dos primeiros a chegar no local, foi o deputado distrital Chico Vigilante (PT). O político brasiliense participa da “reunião ampliada” de apoio a Lula. O parlamentar desembarcou em São Paulo no início da manhã e irá representar o diretório do Distrito Federal no encontro.

Rafaela Felicciano/Metrópoles
“Será tomada uma decisão oficial da executiva do partido, com representantes dos 26 estados e do Distrito Federal, comunicando o dia que ele será lançado como nosso presidente, ao menos é essa a intenção. A gente espera que seja anunciado a data do registro da candidatura”, explicou Chico Vigilante.

Condenação
Lula foi condenado em 2ª instância, na quarta-feira (24/1), pela 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A pena dele nos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro foi aumentada de 9 anos e meio para 12 anos e 1 mês de prisão. A defesa do ex-presidente afirmou que irá recorrer “de todas as formas possíveis”.

Metrópoles



Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.