PGR denuncia deputado Chico Lopes por crime eleitoral; parlamentar nega as acusações

Por Ipu Online — publicado | 3.4.18 | 0 comentários


Segundo Raquel Dodge, ele estaria por trás da criação de um perfil utilizado para difamar, por meio de notícias falsas, o então prefeito de Santos

(Foto: Lucio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados)
A Procuradoria-Geral da República (PGR), por meio de sua titular, Raquel Dodge, formalizou uma denúncia contra o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) e outras duas pessoas por crime eleitoral. Segundo Dodge, o parlamentar cearense estava por trás da criação de um perfil no Facebook utilizado para difamar, por meio de notícias falsas, o então prefeito de Santos (SP) Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), durante as eleições de 2016.

Conforme a denúncia, que também tem como alvo Thallis Vasconcelos de Albuquerque Cantizani, assessor de comunicação do deputado na época, e Mauro Guimarães Panzera, que prestava serviços de publicidade ao PCdoB, os três envolvidos publicaram, ao longo de 2016, mensagens na página 'Caiçara Revoltado' imputando a Paulo Alexandre Barbosa, candidato à reeleição, fatos ofensivos a sua reputação. A prática teria como finalidade beneficiar Carina Vitral, que disputou o cargo pelo PCdoB e terminou a eleição na segunda colocação.

Ainda de acordo com Dodge, que encaminhou a denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF), durante a fase preliminar das investigações ficou provado que o criador da página foi o assessor de comunicação de Chico Lopes, Thallis Cantizani. Informações reveladas após quebra de sigilo telemático também apontaram que alguns IPs (números que identificam cada computador) utilizados para acessar a página eram da Câmara Federal, estando cadastrados em nome do deputado Chico Lopes. Outros endereços utilizados para a disseminação das mensagens difamatórias estão vinculadas a Mauro Panzera e a Thallis Cantizani.

Deputado nega acusações
Em nota enviada à reportagem através de sua assessoria de imprensa, Chico Lopes negou as acusações e disse que já prestou esclarecimentos sobre o caso. "O deputado federal não praticou nenhuma ação ilícita, não criou nenhum perfil, não publicou nem autorizou a publicação de nenhuma informação, muito menos 'fake news', relacionada a nenhuma campanha eleitoral de município dentro ou fora do Estado do Ceará, nas eleições de 2016", diz a nota.

O parlamentar destaca que, assim que solicitado, prestou as informações necessárias para o esclarecimento do caso, "comprovando que jamais praticou qualquer ilícito - penal ou eleitoral - contra qualquer pessoa".

Transação penal
Em sua denúncia contra Chico Lopes, a PGR também apresentou uma proposta de transação penal aos envolvidos na ação, que podem cumprir medidas alternativas para deixarem de responder ao processo. Na proposta, Dodge oferece aos denunciados a possibilidade de pagarem indenização por danos morais à vítima no valor de 100 salários mínimos e – durante um ano – repassarem prestação pecuniária de 30 salários mínimos mensais a uma instituição de assistência social. 

Pela proposta, tanto a indenização quanto o repasse destinado à instituição deverão ser divididos entre os três acusados.

Diário do Nordeste


Categorias: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.