Delegado da PF é morto a tiros e facadas em latrocínio no Maranhão

Por: Ipu Online em | 7.5.18 | 0 comentários

O delegado Davi Aragão, chefe da Delegacia de Repreensão aos Crimes Fazendários da Polícia Federal, no Maranhão, foi assassinado na noite deste sábado, 5, vítima de um latrocínio (roubo seguido de assassinato).

 
Foto: Divulgação/Superintendência da PF (MA)
Segundo a Superintendência Regional da PF no Maranhão, enquanto comemorava com familiares e amigos o aniversário de cinco anos de uma das filhas, três bandidos invadiram sua casa na tranquila e quase deserta Praia do Meio, bairro de Araçagi, no município de São José do Ribamar – a cerca de 30 quilômetros de distância da capital São Luís.

Quando percebeu a movimentação, Davi, de acordo com informações da polícia, teria reagido e confrontado os assaltantes, que estavam municiados de uma pistola, facas e um simulacro.

No confronto, o delegado sacou sua arma e conseguiu atingir o braço de um deles, mas a reação não foi o suficiente para conter os outros dois bandidos. Davi sofreu facadas e três tiros na região do peito e da barriga. A arma do delegado e alguns pertences da casa foram levados.

Davi Aragão foi atendido primeiramente em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Depois foi encaminhado ao Hospital São Domingos. Mas, no caminho da ambulância, o policial que estava há mais de 12 anos na Polícia Federal morreu. A PF também informou ao Estado que o bandido ferido por Davi foi detido. Portanto, os outros dois ainda estão foragidos e sob investigação da Polícia Civil.

A Polícia Federal emitiu uma nota de pesar em decorrência do falecimento do delegado, que teve "atuação exemplar e comportamento louvável" à frente da organização, segundo os mais próximos a ele na divisão de polícia.

"A Polícia Federal continuará todos os esforços possíveis para colaborar na elucidação dos fatos e prisão dos criminosos, solidarizando-se com familiares, amigos e colegas de trabalho, lamentando profundamente o triste episódio que retirou, de forma precoce, a vida do policial que deixará imensa saudade no nosso convívio".

Estadão Conteúdo

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.