Mulher vira policial e prende homem que a estuprou na infância

Por Ipu Online — publicado | 9.6.18 | 0 comentários


A BBC Brasil divulgou nessa quarta-feira (6) uma história sobre uma policial civil de Santa Catarina que prendeu o homem que a estuprou quando tinha 9 anos. A matéria do repórter Felipe Souza surpreende por contar como a mulher reencontrou o abusador dela 14 anos depois. Os dois se viram pela primeira vez em 2002, quando o agressor se tornou amigo dos pais dela. Fotógrafo, ele tinha 39 anos na época em que começou a cometer os crimes contra a vítima.

Na publicação, a agente explica que os abusos ocorreram ao longo de dois anos e meio. Tábata, nome fictício para preservar a identidade dela, disse ter sentido aliviada ao prender o estuprador no dia 21 de dezembro de 2016, “como se tivesse encerrado um clico”. Ela contou a própria história para encorajar outras vítimas a denunciar seus agressores.”Denunciar e mexer nisso foi um processo de cura”, disse. A policial enfrentou vários contratempos antes do desfechou final.

A mãe dela foi diagnosticada com transtorno bipolar e a demora de um processo contra o fotógrafo, na Justiça, a fez questionar tudo que havia ocorrido. Por fim, o homem foi condenado a 7 anos e 6 meses de prisão por estupro, em regime fechado. O depoimento de uma segunda vítima foi essencial para comprovar o histórico de violência sexual do acusado. Ele respondeu ao processo em liberdade, mas depois de um tempo a Justiça expediu um mandado de prisão.

Tábata havia concluído recentemente o curso na Academia da Polícia Civil. Foi então que teve a oportunidade de cumprir a lei e fazer justiça. “No dia 22 de dezembro de 2016, pedi apoio, fomos em oito ou dez policiais até que o localizamos e executamos o mandado. Ele estava escondido numa chácara isolada, na beira de um rio. Naquele dia, meu colega fez a revista e a prisão. Mas eu fiz questão de bater a porta da cela, como se fosse para encerrar esse ciclo”.

Clique aqui para ler na íntegra.

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.