Lembra-se do caixão de granito negro encontrado no Egito? Ele foi aberto, confira:

Por Ipu Online — publicado | 30.7.18 | 0 comentários

Lembra-se daquele sarcófago de aparência sinistra que foi desenterrado recentemente em Alexandria, no Egito? O enorme caixão preto, fechado por mais de 2.000 anos, deu início a um debate intenso na Internet com pessoas divididas entre querer saber o que havia dentro e aquelas que temiam por algo ruim se aberto.

Bem, temos novidades para vocês. O Conselho Supremo de Antiguidades rejeitaram os ridículos rumores de possíveis maldições (trazidas em grande parte pela sempre histérica mídia dos tabloides) e foram em frente e o abriram em nome da ciência.

“O sarcófago foi aberto, e não fomos atingidos por nenhuma maldição”, disse o secretário-geral do Conselho, Mostafa Waziri. Três múmias decompostas, acredita-se que sejam guerreiras, foram encontradas no sarcófago, com um dos crânios mostrando danos causados ​​por fratura de um objeto pontiagudo.

Acredita-se que elas não pertencem a nenhuma família real, pois nenhuma máscara de ouro ou prata, amuletos ou estátuas foram encontradas para indicar isso, e não há inscrição no sarcófago com seus nomes.

Recentemente, no Egito, fora descoberto esse sarcófago de aparência sinistra.


Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany

Isso causou um grande debate em torno da internet sobre o que estava dentro dele.


Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany

É uma múmia que desencadearia uma maldição quando o selo fosse quebrado?


Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany

Teria um tesouro incalculável?


Créditos da imagem: Mohamed Abd El Ghany

Existe algum tipo de doença antiga querendo sair e nos transformar em zumbis?


Créditos da imagem: Ministério das Antiguidades

Bem, finalmente temos a resposta!


Créditos da imagem: Ministério das Antiguidades

Estava cheio de água de esgoto, que entrou por uma rachadura em seu lado.


Créditos da imagem: Ministério das Antiguidades

Três múmias decompostas, que se acredita serem de guerreiras, foram encontradas dentro.


Créditos da imagem: Ministério das Antiguidades

Não se acredita que sejam pertencentes a nenhuma família real, e não há nenhuma inscrição com seus nomes.


Créditos da imagem: EPA

O Conselho de Antiguidades vai agora fazer testes nas múmias para determinar a que época em que elas pertenciam. Assista:




Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.