Sexta chacina do ano no Ceará deixa 5 mortos em Palmácia

Por Ipu Online — publicado | 14.7.18 | 0 comentários


Longe de câmeras de videomonitoramento e do sinal das operadoras de celular para qualquer pedido de socorro, cinco homens foram assassinados, na madrugada dessa sexta-feira (13), na localidade Cafundó, no Município de Palmácia, a 71,9 km de Fortaleza. Ainda na noite de sexta, três pessoas envolvidas nas mortes foram presas.

De acordo com o delegado Joel Morais, os homens teriam ido ao local com o objetivo de matar o foragido da cadeia Pública de Palmácia, identificado por Antônio Augusto Santos da Silva. Como não encontraram Antônio, que é acusado de estupro, mataram o pai, um amigo, um vizinho e as outras pessoas numa suposta ‘queima de arquivo’, para que eles não os delatassem.

De acordo com Morais, os executores disseram ter filmado os assassinatos dos cinco homens, mas a Polícia aguarda decisão da Justiça para periciar o material. Outras linhas de investigação também foram citadas – como ligação com facções criminosas e roubo de gado – mas, em seguida, descartadas, conforme o delegado. Segundo familiares dos mortos, todos eram agricultores, identificados como Paulo Sérgio dos Santos, 31, Antônio Barbosa de Sousa, 57, Roniele Costa Pereira, José Edson dos Santos, Francisco Antônio Pereira de Abril, 42. Antônio Barbosa e Paulo Sérgio eram pai e filho e parentes do alvo dos matadores.


O grupo foi para a localidade de Cafundó na noite de quinta-feira (12), caçar. Os homens ficaram hospedados em uma residência onde outras duas pessoas os aguardavam. Todos saíram na mata por volta das 22h e retornaram às 2h30 para a residência onde estavam hospedados.

Por volta das 4h30, os quatro criminosos bateram na casa onde eles estavam e, vestidos com uniforme , afirmaram ser da Polícia e disseram que estavam atrás de um foragido da Justiça. Os homens abriram a porta da residência e teriam sido levados para uma área próxima. Amarrados com cordas, as cinco vítimas foram mortas com golpes de foices, utilizadas na lavoura, e disparos de armas de fogo.

O proprietário e o filho da casa onde as cinco vítimas estavam sobreviveram e acionaram a Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). O local onde o crime aconteceu é de difícil acesso e, por isso, a Perícia demorou a chegar na região. Por volta de 10h de ontem, as primeiras equipes chegaram ao local. Os policiais só conseguiram chegar na cena crime após uma caminhada de aproximadamente 8km.

Mato alto, pedras e animais silvestres são alguns dos obstáculos do trajeto. Familiares das vítimas estiveram presentes no alto da Serra. O cansaço da subida calou o choro e o sol forte secou as lágrimas de pais e irmãos. Devido à dificuldade do trabalho da Polícia em retirar os corpos, os familiares tiveram de ajudar no transporte feito nas gavetas da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). Lençóis também foram utilizados para cobrir os corpos.

“Duas das vítimas são parentes de um indivíduo que cumpria pena na Cadeia de Palmácia, pelo crime de estupro. O Antônio Augusto dos Santos estava foragido há um tempo e em conversa com algumas testemunhas do local elas disseram que, possivelmente, os indivíduos a procuravam”, destacou o delegado de Baturité, Joel Morais.

Operação
Mais de 15 policiais civis participaram das buscas por suspeitos na região. Moradores indicaram que Antônio Augusto, homem procurado pelos criminosos, morava em uma casa próxima da residência de onde as vítimas teriam sido retiradas e mortas.

No fim da noite, policiais identificaram três dos cinco suspeitos do crime e os levaram à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). São eles: Antonio Evandilson Azevedo Fernandes, 34; Wagli Edmar da Silva Viana, 30; e Francisca Maria Pereira Sales. O trio foi autuado em flagrante por homicídio, organização criminosa e tráfico de drogas. A mulher, que seria partícipe da ação, teria levado os suspeitos para o local onde as vítimas estavam e foi por meio dela que os investigadores encontraram dois deles; um foi preso em Palmácia e o outro no bairro Bom Jardim, na Capital.

A Polícia Civil busca os demais envolvidos, que também seriam moradores do Bom Jardim. No crime, foram utilizadas pistolas e revólveres calibre 38 – um destes apreendido. Fardamentos e uma foice também foram recolhidos.

Histórico
Chacina em Maranguape
Nos primeiros dias deste ano, quatro pessoas morreram no Município da RMF. Dentre elas, três jovens

Chacina das Cajazeiras
A ocorrência no entorno do 'Forró do Gago' foi no dia 27 de janeiro e ficou conhecida como a maior matança do Estado, com 14 assassinatos

Chacina na cadeia de Itapajé
Dia 29 de janeiro, 10 presos morreram dentro da Cadeia Pública de Itapajé após briga de facções

Chacina do Benfica
Uma sequência de ataques no bairro Benfica, no dia 9 de março deste ano, vitimou 11 pessoas. 7 morreram e outras quatro ficaram feridas.

Chacina em Quixeramobim
No dia 28 de junho, três mulheres e um homem foram assassinados a tiros neste Município do Interior

Diário do Nordeste


Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.