USP alerta para alterações hormonais e outras doenças por uso excessivo de plásticos e cosméticos

Por: Ipu Online em | 9.7.18 | 0 comentários


Da garrafa plástica ao protetor solar, do sabonete ao papel emitido pela máquina de cartão de crédito, a concentração de compostos químicos de materiais que facilitam a vida das pessoas é motivo de preocupação para pesquisadores da USP de Ribeirão Preto (SP).

Chamadas de desreguladores endócrinos, substâncias capazes de alterar a produção de hormônios no organismo associadas a câncer, obesidade e até infertilidade foram encontradas em variedades e níveis alarmantes em crianças de todas as regiões do país, segundo um recente estudo publicado na revista científica Environment International.

"É um efeito a longo prazo. À medida que vou usando produtos que contenham esse tipo de substância ao longo da minha vida com certeza estou correndo o risco", afirma Bruno Alves Rocha, pesquisador do departamento de análise clínicas e toxicológicas da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP.

Ao todo, foram coletadas amostras de urina de 300 crianças com idades entre 6 e 14 anos. Em mais da metade delas, foram encontrados ao mesmo tempo 25 tipos de disruptores endócrinos, segundo Rocha.

Em nota, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que aditivos como esses analisados na pesquisa são adicionados intencionalmente pelas empresas para exercer funções tecnológicas, mas estão sujeitos a rígidas regulações e só podem ser usados em quantidades autorizadas pela legislação pertinente.

"A permissão de uso dessas substâncias em alimentos e embalagens que entram em contato com alimentos, por exemplo, só é realizada após comprovação de sua segurança de uso, por meio de estudos toxicológicos e de avaliações de exposição, além da comprovação de sua finalidade tecnológica", comunicou.

Leia a reportagem completa direto do G1


Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.