Vettel vence prova emocionante e acaba com hegemonia de Hamilton na Inglaterra

Por: Ipu Online em | 8.7.18 | 0 comentários


Sebastian Vettel venceu uma das grandes provas da Fórmula 1 nesta temporada e abriu vantagem na liderança do Mundial de Pilotos. O alemão da Ferrari acabou com a hegemonia da Mercedes no Circuito de Silverstone e cruzou em primeiro a linha de chegada do GP da Inglaterra neste domingo (8), em corrida repleta de ultrapassagens, acidentes e acontecimentos.

Se nos últimos tempos a categoria se acostumou a uma briga quase particular entre Vettel e Lewis Hamilton, desta vez foi diferente. O inglês da Mercedes até superou a péssima largada, em que perdeu a liderança, e o acidente quase na sequência, que o levou para a última colocação, e terminou em segundo, mas ambos sofreram para conseguir estes resultados.

A poucas voltas para o fim da prova, era Valtteri Bottas quem tinha a liderança, e a diferença dele para seu compatriota Kimi Raikkonen, quarto lugar, era apenas visual. Mas o finlandês da Mercedes não aguentou e foi ultrapassado pelos três pilotos que vinham atrás dele. Bom, também, para Raikkonen, que fez uma grande prova e terminou em terceiro.

A grande decepção, então, ficou por conta do holandês Max Verstappen, que chegou a flertar com a possibilidade de pódio, mas errou na reta final e precisou abandonar a corrida. Seu companheiro de equipe, o australiano Daniel Ricciardo, herdou a quinta posição. Nico Hulkenberg, Esteban Ocon, Fernando Alonso, Kevin Magnussen e Pierre Gasly, respectivamente, completaram os dez primeiros.

Mas ninguém conseguiu tirar o 51.º triunfo da carreira, sendo o quarto na temporada, de Vettel, que acabou com a hegemonia de Lewis Hamilton na Inglaterra, onde o piloto da Mercedes havia vencido nos últimos quatro anos. Ele chegou a 171 pontos, contra 163 de Hamilton, 116 de Raikkonen, 106 de Ricciardo e 93 de Verstappen.

A PROVA - As emoções tomaram conta da prova desde o início. Na largada, Vettel saiu muito bem e assumiu a primeira colocação, enquanto Bottas ultrapassou seu companheiro de equipe para virar vice-líder. Hamilton não foi bem, caiu para terceiro e passou a ser incomodado por Raikkonen, o quarto.

Não bastasse ter perdido duas posições, Hamilton foi imediatamente atacado por Raikkonen. E quando tentava defender sua terceira posição, foi tocado, rodou e saiu da pista. Pior para o inglês, que voltou na última colocação, enquanto Raikkonen perdeu apenas uma colocação, indo para quinto.

Verstappen se aproveitou de toda esta confusão e pulou para terceiro, enquanto seu companheiro de Red Bull, Ricciardo, virou o quarto colocado. Mas durou pouco. Apenas uma volta depois de se envolver no acidente com Hamilton, Raikkonen ultrapassou o australiano e assumiu o quarto lugar.

Também durou pouco o calvário de Hamilton. Com carro muito mais rápido do que os dos rivais, o piloto foi ganhando posição por posição. E depois de apenas 15 voltas, já era o quinto colocado. Diante da estratégia da Mercedes de atrasar a parada nos boxes, subiu para terceiro, enquanto Bottas assumiu a ponta.

Não demorou, no entanto, para que os pilotos da Mercedes fossem para os boxes, o que deu a liderança mais uma vez a Vettel. Quando o destino final da prova parecia certo, o Safety Car se tornou parte fundamental dos acontecimentos.

Na 33.ª volta, Marcus Ericsson perdeu o controle em uma curva, saiu da pista e chocou-se violentamente com a barreira de pneus. Após cinco voltas com o carro de segurança na pista, a relargada foi dada, mas logo depois, Carlos Sainz e Romain Grosjean se envolveram em acidente e o Safety Car precisou ser acionado novamente.

Quando o carro deixou novamente a pista, restavam dez voltas para o fim da prova. Imediatamente, Vettel, que perdera a liderança para Bottas na segunda parada para os boxes, iniciou o ataque tentando recuperar a posição. Pouco atrás, Raikkonen superava Verstappen em linda briga pelo quarto lugar e já começava a incomodar Hamilton, que também se beneficiara de uma parada a menos para se manter na zona de pódio.

A distância do líder Bottas para o quarto colocado Raikkonen era apenas visual, o que deixou a reta final da prova emocionante. A cinco voltas para o fim, Vettel aproveitou uma curva para a esquerda, se lançou em um pequeno espaço e recuperou a primeira posição para não mais perder.

Bottas perdia potência e seria ultrapassado também por Hamilton e Raikkonen. O finlandês da Ferrari ainda ameaçou um ataque ao inglês da Mercedes, que segurou o segundo lugar e minimizou o dano com a vitória de seu principal rival.

Confira a classificação final do GP da Inglaterra:

1º - Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), 52 voltas
2º - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 2s264
3º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 3s652
4º - Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 8s883
5º - Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a 9s500
6º - Nico Hülkenberg (ALE/Renault), a 28s220
7º - Esteban Ocon (FRA/Force India), a 29s930
8º - Fernando Alonso (ESP/McLaren), a 31s115
9º - Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 33s188
10º - Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso), a 34s129
11º - Sergio Pérez (MEX/Force India), a 34s708
12º - Stoffel Vandoorne (BEL/McLaren), a 35s774
13º - Lance Stroll (CAN/Williams), a 38s106
14º - Sergey Sirotkin (RUS/Williams), a 48s113

Não completaram a prova:

Brendon Hartley (NZL/Toro Rosso)
Max Verstappen (HOL/Red Bull)
Romain Grosjean (FRA/Haas)
Charles Leclerc (MON/Sauber)
Marcus Ericsson (SUE/Sauber)
Carlos Sainz (ESP/Renault)

Estadão Conteúdo

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.