Mulher achada nua na Asa Norte no DF foi executada com cerca de 10 tiros

Por Ipu Online — publicado | 26.9.18 | 0 comentários


Um crime bárbaro ocorreu no fim da Asa Norte. Lauryelle Máximo Moreira, 21 anos, estava desaparecida e foi encontrada morta na 614/814, em uma mata nos fundos do Parque Olhos D’Água, na manhã desta quarta-feira (26/9).

A jovem estava sem roupas, deitada de barriga para cima no chão, com cerca de 10 disparos de arma de fogo e provável fratura no braço direito. Há no local muitas cápsulas de pistola. O cadáver foi achado a cerca de 200 metros do barraco onde a moça morava com o marido.

A corporação informou ter sido acionada por volta das 20h desta terça (25) para encontrar Lauryelle que estaria perdida dentro da mata. O comunicado foi feito pelo companheiro dela, identificado como Leandro Barreto da Silva.

Ele relatou que ouviu diversos tiros próximo ao local. Os bombeiros e a Polícia Militar fizeram uma varredura, porém devido à escuridão e à falta de informações, as buscas foram encerradas à noite e reiniciadas na manhã desta quarta (26), com auxílio de cães farejadores. Por volta das 9h, o corpo da jovem, que era catadora de entulhos, foi encontrado.

Bombeiros usaram cães farejadores e encontram o corpo (Copo de Bombeiros/Divulgação)
Segundo a Polícia Militar, a mulher encontrada morava com o companheiro em um barraco de lona na mata. A corporação está conduzindo o homem para a delegacia para maiores esclarecimentos.

Aos militares, ele relatou que chegou ao barraco na tarde de terça (25) e não encontrou a mulher. Ligou para os bombeiros e PM, mas a vítima não foi localizada à noite.

Por volta das 11h, o rapaz estava sentado em uma cadeira perto do local do crime. Chorava e, aos policiais, disse que não tem rixa com ninguém. Ele contou que cata latinhas e entulhos na região.

A perícia da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) foi acionada.


Aguarde mais informações

Metrópoles

Categorias: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.