Mulher é presa no Rio de Janeiro por vender joias falsas pela Internet

Por Ipu Online — publicado | 15.9.18 | 0 comentários


Agentes da Delegacia de Combate à Pirataria prenderam nesta quarta-feira uma jovem especialista em falsificar joias da maior joalheria do país, a H. Stern, que fez a denúncia do crime. Mariana Souza da Mota, de 24 anos, foi presa em casa, em um condomínio de luxo no bairro Cantagalo, em Niterói, na Região de Pendotiba.

De acordo com a especializada, a investigação durou cerca de três meses e começou após um funcionário da H.Stern desconfiar dos produtos. Os policiais descobriram que Mariana vendia as peças em sites e redes sociais como se fossem verdadeiras com valores entre R$ 5 mil a R$ 12 mil.
Todas as joias ao serem vendidas devem possuir um certificado de autenticidade. Segundo os investigadores, ela falsificava também o documento que tinha até QR.

Joias falsificadas apreendidas pela políciaSeverino Silva / Agência O Dia
"Não se trata de alguém pobre que está comercializando. Ela é uma pessoa de classe média alta que cometeria esse tipo de crime. Porém, no imaginário da sociedade só seria cometido por camelôs. Vamos seguir na apuração do caso", disse o delegado responsável pelo caso, Maurício Demetrio.

Na casa da jovem, os investigadores cumpriram um mandado de busca e apreensão e encontraram colares, brincos e pulseira que, segundo a perícia, são falsificações avaliadas em meio milhão de reais, além de moldes para confecção de novas joias.

Fonte: O Dia

Categorias: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.