A cara da campanha não é a do Lula, é a do Haddad, diz Jaques

Por Ipu Online — publicado | 9.10.18 | 0 comentários

As declarações do senador eleito apontam para a nova estratégia da equipe do PT de tentar dar mais autonomia ao presidenciável para ampliar o arco de alianças no segundo turno

Foto: Heuler Andrey / AP
Escalado para comandar as articulações políticas do segundo turno em torno de Fernando Haddad (PT), o senador eleito pela Bahia, Jaques Wagner, afirmou que a partir de agora a campanha deve ter a cara do candidato e não a do ex-presidente Lula, seu padrinho político.

"É ele [Haddad] quem comanda a campanha. A cara da campanha não é a do Lula, é a cara dele", afirmou Jaques após reunião nesta segunda (8) em São Paulo. "Haddad chegou ao segundo turno como o substituto de Lula, agora o Haddad do segundo turno é o Haddad", completou.

As declarações de Jaques apontam para a nova estratégia da equipe de Haddad de tentar dar mais autonomia ao candidato para ampliar o arco de alianças e o discurso neste segundo turno.

Lula já liberou Haddad das visitas semanais a Curitiba, onde o ex-presidente está preso desde abril.

De estilo conciliador, Jaques chegou a São Paulo e começou as conversas já nesta segunda. Um dos procurados foi o irmão de Ciro Gomes (PDT), Cid Gomes.

Ainda de acordo com o senador eleito, há possibilidade de lideranças de outros partidos, como o PSDB, declarar apoio a Haddad, mas ele não quis revelar nomes.

"Não precisamos conflagrar o país. Vai virar guerra civil? As pessoas estão preocupadas com duas coisas: emprego e segurança", disse ele.

Na avaliação de Jaques, Haddad deve se dedicar agora aos debates na televisão e aos programas eleitorais que, na sua opinião, têm maior alcance que as agendas públicas. Nesta semana, o candidato deve ficar em São Paulo.

Folhapress

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.