Cearenses nascidos em 2017 têm expectativa de vida de 74,1 anos

Por Ipu Online — publicado | 29.11.18 | 0 comentários


Três meses e 11 dias a mais de vida. Esse é o aumento da expectativa de vida dos brasileiros nascidos no ano de 2017 em relação a 2016, passando da média de 75,8 para 76 anos, segundo as Tábuas Completas de Mortalidade divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (29).

No Ceará, o índice é de 74,1 anos, abaixo apenas do Pernambuco, em comparação das melhores taxas de vida registradas no Nordeste. Todos os estados da região ficaram abaixo da média do país. No Brasil, a maior esperança de vida ao nascer foi registrada em Santa Catarina, com expectativa de 79,4 anos, e a menor no Maranhão, com 70,9 anos.

Na análise geral do aumento de perspectiva entre os sexos, as mulheres tiverem um crescimento de 79,4 para 79,6 anos, de 2016 para 2017, e os homens de 72,2 para 72,5 anos, no mesmo período.

A estatística apresentada nas Tábuas Completas de Mortalidade serve como base para a Previdência Social, sendo usada no cálculo das aposentadorias.

Mortalidade infantil
Outro dado positivo foi a diminuição do índice de mortalidade infantil, calculado pela probabilidade de óbito de crianças antes do primeiro ano de idade. A taxa caiu de 13,3 a cada mil nascidos vivos para 12,8, entre 2016 e 2017.

A mortalidade na infância, que compreende a taxa de crianças entre um e quatro anos, também apresentou queda, de 15,5 por mil nascidos vivos para 14,9, dentro do mesmo espaço de tempo.

Apresentando dados a partir de 1940, o levantamento mostra que, até 2017, a mortalidade de crianças com menos de um ano diminuiu 91,3%, de 146,6 para 12,8 por mil. Assim como o índice de óbitos de crianças entre um e quatro anos, passando de 76,7 por mil para 2,2 por mil, o que representa uma redução de 97,2%.

Diário do Nordeste

Categorias: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.