Roni, o Mascote Tutuba, do Ferroviário, morre em acidente de carro na Capital

Por Ipu Online — publicado | 6.11.18 | 0 comentários


Ronierbson Gomes e Silva, o homem responsável por dar vida ao Mascote Tutuba, nos jogos do Ferroviário, morreu no fim da noite desta segunda-feira (5), em Fortaleza. A informação foi confirmada, por telefone, pelo filho dele, Ronielerson Araújo.

Segundo ele, o pai voltava da comemoração do título da Taça Fares Lopes, conquistada pelo Ferroviário no domingo (4), quando o carro que dirigia colidiu contra um poste nas proximidades do Vila do Mar. Ronierbson teve um corte na cabeça e perdeu muito sangue. Ele foi levado ao IJF, onde permaneceu internado por todo o dia desta segunda-feira.

Ainda conforme Ronielerson, seu pai não conseguia urinar e os médicos tiveram que colocar uma sonda. À tarde, os rins pararam de funcionar e a equipe médica disse que o paciente teria de fazer uma hemodiálise. Porém, o quadro se agravou e ele veio à óbito no fim da noite desta segunda-feira (5).

A família decidiu realizar o velório de Roni Tutuba casa dele, no bairro Álvaro Weyne. O sepultamento está marcado para as 8h de quarta-feira (7), no cemitério Jardim do Éden, em Pacatuba. Segundo Ronierlerson, a diretoria do Ferroviário deve se pronunciar sobre o falecimento de Roni nesta terça-feira (5) através de nota oficial.

Juba
Joaquim Neto, atual responsável por Juba, mascote do Fortaleza Esporte Clube, conversou com a nossa reportagem e lamentou profundamente a morte de Roni. Ele relembrou a alegria excepcional do amigo. "Ele era um cara com um carisma e simpatia gigantes, algo que contagia, não era à toa que o Tutuba era adorado por todas as torcidas", conclui Neto.

Eles se conheceram em 2015, no jogo entre Ferroviário x Guarani de Juazeiro, no PV. No intervalo do jogo, Neto foi ao vestiário e deu palavras de apoio ao amigo que estava tenso, nervoso por sua estreia como mascote do Ferrão naquele jogo. Desde então, a amizade se fortaleceu e os dois, juntamente com outros mascotes do Brasil, nunca mais deixaram de se falar.

Tutuba
Ronierbson tinha 36 anos e há três ganhou espaço no coração de muitos torcedores cearenses. Sem roteiros ou planejamentos, Roni recebeu a difícil missão de levar alegria a um público específico: torcedores de futebol. Mais precisamente os do Ferroviário.

Sob a fantasia de Tutuba, mascote coral, Roni mostrava irreverência e colecionava "causos"  à beira do gramado nos jogos do Tubarão da Barra.


Roni topou assumir a identidade do Tubarão da Barra em 2015. E não pense que a função era feita só de alegrias. Requeria coragem para encarar o calor, força para carregar a fantasia e disposição para manter a energia da torcida lá em cima em todos os jogos. E tudo feito por amor ao time.

Tutuba tinha muitos fãs, chamava a atenção nas partidas e sempre estava fazendo algo divertido. O mascote já foi expulso de campo uma vez por tirar a camisa e já sambou no gramado. Em agosto deste ano, Roni relembrou em entrevista que no último jogo do Ferroviário contra o Treze-PB, o mascote resolveu  brincar com os bancos da Arena Castelão e foi alertado pelo árbitro.

"No último jogo, estava brincando muito, então o delegado da partida me chamou. Pensei que ia ser  expulso de novo, mas ele me tirou de um lado e me mandou para o outro, o lado vazio.  Então comecei a animar as cadeiras. Vazias. O jeito era animar elas. E o pessoal riu bastante", comentou Roni na entrevista.

Diário do Nordeste








Categorias: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.