Candidata da Filipinas vence o Miss Universo 2018; Brasil ficou no top 20

Por redação Ipu Online | publicado | 17.12.18 | 0 comentários

Catriona Gray superou na etapa final as representantes da África do Sul, Tamaryn Green, e da Venezuela, Sthefany Gutiérrez
Gray, estudante de Música, superou mais de 90 candidatas de todo o mundo na 67ª edição do concurso (foto: Lillian Suwanrumpha/AFP )
A filipina Catriona Gray foi a vencedora do concurso Miss Universo 2018, celebrado em Bangcoc e que contou pela primeira vez com uma candidata transgênero. Gray, 24 anos, superou na etapa final as representantes da África do Sul, Tamaryn Green, e da Venezuela, Sthefany Gutiérrez.

O Brasil foi representado pela amazonense Mayra Dias. Ela ficou entre as 20 semifinalistas do concurso. O evento foi apresentado pelo comediante americano Steve Harvey e pela modelo Ashley Graham. Na fase final, Gray foi muito aplaudida ao falar de seu trabalho nos bairros mais pobres de Manila. Após a vitória, explicou que deseja continuar trabalhando nas Filipinas com uma organização que promove a educação sobre o vírus HIV e a aids.

"Há alguns anos perdi um amigo íntimo por complicações relacionadas com o HIV", afirmou em uma entrevista coletiva. "Por isto, aumentar a consciência desta causa e estimular as pessoas para que façam testes e conheçam sua condição será, sem dúvida, um dos primeiros projetos que desejo realizar", completou.

(foto: Lillian Suwanrumpha/AFP )
Gray, estudante de Música, superou mais de 90 candidatas de todo o mundo na 67ª edição do concurso, organizado na Impact Arena, na capital da Tailândia. Durante a competição, exibida ao vivo, as candidatas responderam perguntas sobre a liberdade de imprensa, a legislação sobre a maconha, os refugiados e o movimento #MeToo.

O evento foi bem recebido por abordar temas como a inclusão e por seu júri formado apenas por mulheres, incluindo empresárias e vencedoras do Miss Universo. A edição também foi marcada pela representante da Espanha no concurso, Angela Ponce, 27 anos, a primeira candidata transgênero da história, que ressaltou o desejo de representar a "diversidade dos seres humanos".

"Ter uma vagina não me transformou em mulher. Sou uma mulher desde antes de nascer, porque minha identidade está aqui", declarou à AFP Ponce, apontando para a própria cabeça. O concurso também registrou uma polêmica depois que a Miss Estados Unidos, Sarah Rose Summers, pareceu zombar das candidatas do Vietnã e do Camboja nas redes sociais por não falarem bem inglês.

Seus comentários se tornaram virais e Summers pediu desculpas em uma mensagem no Instagram. A vitória de Gray foi celebrada na Filipinas, onde os concursos de beleza são muito populares. Um porta-voz do presidente Rodrigo Duterte afirmou em um comunicado que a vitória de Catriona Gray colocou o país no mapa por sua "beleza e elegância".

Agência France-Presse




Arquivado em: ,

0 comentários

ATENÇÃO: Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.