Comarca de Ipu já acumula um montante de 4.516 processos: ausência de um Juiz titular agrava ainda mais o quadro quantitativo

Por redação Ipu Online | publicado | 1.2.19 | 0 comentários


Desde o pedido de afastamento e a consequente exoneração do ex-magistrado titular da Comarca de Ipu Dr Lucio Cavalcante, que não há um novo titular para gerenciar as atividades inerentes ao judiciário ipuense.

O fato causa prejuízos tanto a advocacia como aos que buscam a resolução de conflitos e/ou uma prestação de serviços pela via judicante. A dignidade da pessoa humana quanto a ter a satisfação jurisdicional alcançada restou afetada.

Questiona-se o quanto a OAB-CE e as subseções de Tianguá e de Sobral permanecerão silentes quanto aos inúmeros clamores dos advogados ipuenses, que a muito vem a sofrer em decorrência da falta de magistrado titular na Comarca de Ipu e da vinculada do município de Pires Ferreira.

Segundo a certidão expedida pelo Fórum local, o processo mais antigo da Comarca de Ipu data de 08 de fevereiro de 1982. Será se as partes que aguardam a sentença ainda estão vivas?

Quanto mais tempo passar sem um magistrado titular na Comarca, a tendência é o quadro se agravar e a prestação jurisdicional ficar por deveras comprometida.

Espera-se que a nova presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, na pessoa do novo Presidente Desembargador Washington Araújo, possa de fato e de direito suprir essa vacância de juízo titular na Comarca de Ipu o mais urgente possível.


Expresso Ipu

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.