Morto em incêndio no Flamengo, zagueiro Arthur Vinícius faria 15 anos neste sábado

Por redação Ipu Online | publicado | 8.2.19 | 0 comentários



O zagueiro Arthur Vinícius, de 14 anos, foi a segunda pessoa identificada entre os dez mortos no incêndio ocorrido, na madrugada desta sexta-feira (8), no CT do Flamengo, em Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Natural de Volta Redonda/RJ, o garoto completaria 15 anos neste sábado (9).

Arthur estava no alojamento que abrigava adolescentes que jogavam nos times de base do Flamengo. Ele era sobrinho do meia Andinho, que jogou pelo Volta Redonda, e no ano passado foi convocado para defender a Seleção Brasileira sub-15.

O defensor morava com a prima, tia e a mãe no bairro Volta Grande II, em Volta Redonda, sendo que a sua família se organizava para viajar ao Rio de Janeiro para celebrar seu aniversário com o menino neste sábado.

Antes do defensor, a primeira vítima identificada após o incêndio no CT foi o goleiro Christian Esmerio Candido, de 15 anos, que era considerado uma das grandes promessas do clube, tendo sido convocado algumas vezes para a seleção brasileira de base.

Após Arthur Vinícius e Christian, o atacante Vitor Isaías, também de 15 anos, se tornou a terceira vítima reconhecida entre os mortos desta tragédia. Catarinense nascido em Florianópolis, ele começou a se mostrar um artilheiro como jogador de futsal do Figueirense. No ano passado ele estava defendendo o Athlético/PR antes de se transferir para o Flamengo em agosto.

Outra promessa rubro-negra, Vitor Isaías era empresariado por Sávio, ex-atacante do Flamengo, que foi revelado pelo clube como jogador na década de 1990. Por meio de uma nota oficial, a empresa do ex-jogador lamentou a tragédia e disse que já está prestando auxílio aos familiares do adolescente.

"A empresa Sávio Soccer vem através deste manifestar seu profundo pesar com a tragédia ocorrida na manhã desta sexta-feira (08), no Centro de Treinamento do Flamengo, onde acabou vitimando o nosso atleta Vitor Isaías (Vitinho), de 15 anos. Aproveitamos também para informar que a empresa está prestando todo o suporte necessário aos familiares no sentido de minimizar a dor causada por essa perda irreparável. Pedimos respeito e compreensão de todos neste momento de luto e nos solidarizamos com os demais familiares e amigos desses jovens atletas que lutavam para alcançar o sonho de ser um jogador de futebol profissional", disse a empresa no comunicado desta quarta.

4ª vítima identificada é garoto serpiano

 Foi confirmada também a morte do atleta sergipano Áthila Paixão, de 14 anos, como a quarta vítima do incêndio desta sexta do alojamento do CT do Ninho do Urubu, em Vargem Grande. O ex-treinador do garoto, Arielson Bezerra, que estava com a família no momento em que a direção do Flamengo ligou, afirmou que os pais do jovem, Damião e Diana, viajarão no final da tarde para a capital carioca para reconhecer o corpo.

Áthila começou a treinar no Flamengo no ano passado, ao ser descoberto quando jogava na Copa Zico. Em abril de 2018, ele foi aprovado no Flamengo e, desde então, treinava e estudava no Ninho do Urubu. Segundo Arielson Bezerra, Áthila estava no povoado Brasília, onde residem seus pais, de férias, e retornou ao Rio no domingo.

Os primeiros toques de bola de Áthila foram dados na Escolinha Geração Futuro, de Arielson Menezes. O ex-técnico disse que Áthila era atacante, bom de bola e ia ter muito futuro no Flamengo. "Ele era torcedor do Flamengo e estava realizando um sonho", disse o arrasado Arielson.

O incêndio no alojamento do Ninho do Urubu causou a morte de 10 pessoas, entre jogadores e funcionários. Os adolescentes tinham idade que variava de 14 a 16 anos. As causas do incêndio ainda estão sendo apuradas, mas se suspeita de um curto circuito em um ar-condicionado do local.

Estadão Conteúdo

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.