Homens precisam sair duas vezes por semana para beber com os amigos, segundo pesquisa

Por redação Ipu Online | publicado | 16.3.19 | 0 comentários


Um estudo realizado pelo diretor de pesquisa social e evolucionário de neurociência da Universidade de Oxford, Robin Dunbar, que dentre outras coisas, revelou que para o bem da saúde, recuperação mais rápida em casos de doenças e prevenção de futuras depressões, os homens precisam sair para beber com os amigos pelo menos duas vezes por semanas.

A pesquisa também é valida para aqueles que saem apenas para praticar algum esporte ou coisas do gênero, pois o importante é a companhia e não a bebedeira, diz Robin Dunbar, que acrescenta em seu estudo que um mínimo de quatro amigos já é o suficiente para se socializarem, darem boas risadas e assim liberarem as endorfinas necessárias para tirar todo o estresse acumulado no dia a dia.

A tarefa não é tão simples quanto parece, pois a maioria dos homens por mais que queiram, não conseguem conciliar seus casamentos e seus empregos com a vida noturna em companhia de seus amigos. Segundo a pesquisa, 40% dos homens conseguem a "liberação" de suas esposas para saírem apenas uma vez por semana para se encontrarem com os amigos mais próximos, e outros 20% saem com menos frequência ainda ou nunca o fazem.

Os outros 40% que participaram da pesquisa tinham a liberdade e o costume de saírem para beber de duas a mais vezes por semana, e assim aparentaram ser mais saudáveis e com recuperação mais rápida quando afetados por doenças de qualquer gravidade, além de não sofrerem de transtornos depressivos.

Por isso, aproveite! Quando questionarem sua ida ao bar para tomar sua cervejinha com aquela galerinha da antiga, fale que você está só cuidando de sua saúde e bem estar. A pesquisa foi realizada no Reino Unido, e envolveu apenas homens, mas provavelmente, deve ter o mesmo efeito em mulheres.

Folha Vitória

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.