Jon Jones mantém cinturão sob vaias; Usman se torna 1º campeão africano

Por redação Ipu Online | publicado | 3.3.19 | 0 comentários


Grande estrela da noite, Jon Jones fez mais do mesmo. Pragmático no octógono, o americano voltou a dominar seu rival, manteve o cinturão dos meio-pesados (93 kg) e deixou claro que poucos atletas terão uma chance real de derrota-lo no UFC. E Anthony Smith não é um deles.

Acuado desde o início, o desafiante foi "cozinhado" por Jones, que alternou chutes altos com chutes no corpo e cruzados de direita. E embora pouco efetivo no primeiro assalto, Jon controlou tanto as ações que pouco se viu uma tentativa de ataque do oponente.

Na segunda etapa, um novo domínio territorial e no volume de golpes chegaram a dar a impressão que a disputa poderia acabar a qualquer momento. No entanto, Jones preferiu cadenciar o ritmo como de costume e tratou de jogar no erro de jogo de pernas de Smith.

O excesso de zelo, porém, também mostrou a insatisfação da torcida que, a partir do terceiro assalto, vaiou os rivais pedindo por um duelo com mais ação. Por isso, na etapa seguinte, o campeão trouxe mais contundência em seus golpes e com cotoveladas, joelhadas e muitos socos deixou Smith praticamente nocauteado, até que conectou uma joelhada ilegal.

Sem pensar duas vezes, o árbitro Herb Dean retirou dois pontos do campeão, que ao ver a ampla diferença de pontos caía tanto, optou por garantir mais  um triunfo para o seu cartel. Aos 31 anos, Jones acumula cartel com 24 vitórias, uma derrota e um 'no contest' (luta sem vencedor).


Primeiro campeão africano
O que acontece quando dois wrestlers fortes, explosivos e nocauteadores se encontram em um octógono? Ao que tudo indica, a resposta depende do que está em jogo para o vencedor, o que torna o confronto uma caixinha de surpresas, como foi visto no co-main event do UFC 235.

Realizado neste sábado (2), em Las Vegas (EUA), o show contou com o embate entre Tyron Woodley e Kamaru Usman no co-main event da noite e, com poucos lampejos de agressividade esperado pelos atletas, o que se viu foi uma luta estudada e monótona que por vezes chegou a ser vaiada pela torcida presente.

Melhor desde o início, Usman andou para frente e tomou conta das ações. Mais forte e pesado, o atleta nigeriano derrubou o então campeão consistentemente e garantiu vantagem no placar para se tornar o primeiro campeão da história do UFC a ter nascido do continente africano.

No quarto assalto, diante de um cansado oponente, o meio-médio (77 kg) nigeriano partiu com tudo para o ataque junto à grande e chegou a balançar Woodley em duas oportunidades. No entanto, enquanto a torcida ia a loucura, o agora campeão preferiu voltar  a jogar de forma segura e, com nova queda, arrancou vaias da plateia.

Acompanhe os resultados do UFC 235:
Jon Jones venceu Anthony Smith por decisão unânime;
Kamaru Usman venceu Tyron Woodley por decisão unânime;
Ben Askren finalizou Robbie Lawler no 1º round;
Weili Zhang venceu Tecia Torres por decisão unânime;
Pedro Munhoz nocauteou Cody Garbrandt no 1º round;
Zabit Magomedsharipov venceu Jeremy Stephens por decisão unânime;
Johnny Walker nocauteou Misha Cirkunov no 1º round;
Cody Stamann venceu Alejandro Pérez por decisão unânime;
Diego Sanchez nocauteou Mickey Gall no 2º round;
Edmen Shahbazyan nocauteou Charles Byrd no 1º round;
Macy Chiasson nocauteou Gina Mazany no 1º round;
Hannah Cifers venceu Polyana Viana por decisão dividida.

Ag. Fight



Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.