Cidadão alemão é novo suspeito do desaparecimento de Madeleine McCann

Por redação Ipu Online » publicado | 8.5.19 | 0 comentários

Homem condenado pelo assassinato de três crianças é alvo das investigações sobre o caso; menina britânica desapareceu há 12 anos quando passava férias com a família em Portugal

Foto: Reprodução
Um cidadão alemão condenado pelo assassinato de três crianças é o novo alvo das investigações sobre o desaparecimento da britânica Madeleine McCann há 12 anos em um complexo turístico do Algarve, no sul de  Portugal, segundo informações de veículos de comunicação locais.

Madeleine desapareceu enquanto dormia junto a seus irmãos gêmeos no apartamento alugado por seus pais em Portugal.

O homem já havia sido identificado como suspeito em 2011 pela Scotland Yard, a polícia do Reino Unido, mas sua relação com o caso foi descartada pois seu alvo principal eram crianças de sexo masculino.

Novas informações descobertas recentemente teriam levado as autoridades a voltarem a investigá-lo como suspeito. As novas pistas surgem quando completa-se 12 anos do desaparecimento de Madeleine, ocorrido no dia 3 de maio de 2007 em Praia da Luz, no Algarve.

Madeleine, que na época tinha 3 anos, desapareceu enquanto dormia junto a seus irmãos gêmeos no apartamento alugado por seus pais. No momento do desaparecimento, eles jantavam com amigos em um restaurante próximo.

Hoje, há duas linhas de investigação paralelas sobre o desaparecimento da menina: uma da Polícia Judiciária portuguesa e outra no Reino Unido, dirigida pela Scotland Yard.

A polícia portuguesa confirmou na sexta-feira que a investigação sobre Madeleine segue aberta em Portugal e está sendo desenvolvida em coordenação com autoridades internacionais.

Até o momento, as mais de 2 mil diligências policiais, 500 buscas na região e 12 mil páginas de processo ainda não conseguiram lançar uma luz sobre o que aconteceu na noite em que Madeleine desapareceu. / EFE

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.