Tradicional Festa do Pau da Bandeira em Barbalha, no Ceará, reúne milhares de pessoas

Por redação Ipu Online | publicado | 2.6.19 | 0 comentários


Um dos mais tradicionais festejos cearenses, a Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio abre o mês de junho em Barbalha, município do Cariri cearense, com café da manhã, missas, cortejos e preparos para o hasteamento do mastro. Reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a festa deve contar com cerca de 350 mil pessoas participando dos festejos, de acordo com a Secretaria de Cultura do município, e ainda atrair aproximadamente 600 mil pessoas até o dia 13 de junho.

Com direito a banda, a caminhada pelas ruas de Barbalha começou cedo. “Tá um movimento muito bom, muito lindo. Só tem no nordeste”, disse Sidney Arcanjo que veio de Campo Grande, Mato Grosso Sul, trazendo a família para comemorar os festejos na cidade.

Com música e vestimentas coloridas, o cortejo dá o tom de festa nas ruas de Barbalha — Foto: Honório Barbosa/SVM
O governador Camilo Santana (PT), natural de Crato, esteve presente mais cedo em uma das missas. “Além de ser uma festa popular e religiosa, pessoalmente pra mim, tem um simbolismo muito forte. Me lembra minha infância e adolescência, eu que praticamente vinha a quase todas as festas. É sempre uma alegria, como governador, vir aqui prestigiar essa festa”, refletiu Camilo desejando uma boa festa para todos na cidade.

Angélica Luna, veterinária, é de Fortaleza mas há 10 anos vive em Crato e demonstra sua afetividade pelos festejos. “Eu acho muito importante para manter a cultura, passar para as novas gerações. Não tem preço isso aqui. Trago minha filha sempre que venho. Meu marido é pesquisador nessa área e a gente vive isso com muita paixão”, destaca.

José Tomé, 57, participa do reisado de Santa Luzia “desde menininho até hoje”. Assim como Luiz Monteiro, 56, que diz nunca ter perdido uma festa do Pau da Bandeira desde que começou a participar há 47 anos. “É um prazer grande estar aqui”, frisa.

O pesquisador Josier Ferreira, ressalta a importância da festa ser reconhecida como Patrimônio Cultural pelo Iphan. “Essa prática cultural tem que ser preservada. Momento em que se dá início todo o processo do ritual, concentração de energia e fé em torno do santo”, pontua sobre a programação deste domingo. Josier diz que muitos dos carregadores do mastro são guiados por promessa e tradição. “É essa consciência cultural, sentimento de pertencimento, que vem sendo repassada há mais de 80 anos”, conclui.

Nos cortejos uma faixa reivindicava solução para os casos de feminicídios no Cariri — Foto: Honório Barbosa/ SVM
João Xavier Teles ajuda a carregar o Pau da Bandeira há cinco anos e diz que o momento exige cuidado por conta do peso do mastro. “Começou de família. Entrei na tradição, comecei a gostar da amizade, da brincadeira que a gente tem, da união. É um momento onde todos se juntam”, pontua o estudante que também diz fazer várias orações durante o dia.

Por volta de 12h o Pau da Bandeira, com cerca de 26 metros e pesando duas toneladas, começou a ser carregado em clima de diversão e deve ser hasteado às 18h como parte da programação. Shows de forró dão continuidade aos festejos na cidade.

G1 CE

Arquivado em: , ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.