Astrônomos descobrem, talvez, a estrela mais misteriosa da galáxia

Por redação Ipu Online | publicado | 8.7.19 | 0 comentários


Uma equipe de astrônomos descobriu um estranho caso de uma estrela com variações inexplicáveis de brilho. Todas as tentativas de compreender o que pode causar as quedas de luz que foram detectadas pelo satélite Kepler entre agosto e novembro de 2017 não deram resultados até agora.

Andrew Vanderburg e a sua equipe da Universidade do Texas não encontraram nada de sólido para resolver o mistério das 28 quedas de luminosidade observadas durante 87 dias no EPIC 249706694 (HD 139139).

Localizada a cerca de 350 anos-luz da Terra, na constelação de Serpente, a estrela é um pouco maior e mais brilhante que o nosso Sol está junta de uma anã vermelha.

No início, os pesquisadores pensaram em uma procissão de exoplanetas passando em frente das estrelas (trânsito planetário), mas a periodicidade das quedas de luz observadas é, na verdade, tão aleatória que não fazia sentido. No entanto, as pistas pesam a favor dos objectos em trânsito que, ao passarem em frente da luz, desviam as curvas de luminosidade.

“Algo estranho está acontecendo lá. Há cerca de dez anos que olhamos para as estrelas com esta precisão, mas esta é a primeira vez que encontramos algo que se parece com um planeta em transição, mas que não tem uma periodicidade aparente,” disse Hugh Osborn, do Laboratoire d’astrophysique de Marseille (LAM), à revista New Scientist.

Para que esses objetos astrofísicos fossem planetas, os pesquisadores calcularam que seria necessário que eles fossem muito numerosos para explicar o que Kepler viu, no entanto, isso não é possível.

O mistério dessas variações na luz intriga tanto os cientistas que a hipótese de uma mega-infra-estrutura de esfera de Dyson foi, naturalmente, invocada. Mas a equipe nos lembra que, muitas vezes na astronomia, quando não entendemos um problema, tendemos a dizer que podem ser alienígenas.

É atraente acreditar que uma civilização extragaláctica está por trás do mistério de HD 139139, mas a explicação das incertezas da luminosidade deste par de estrelas deverá ter uma explicação mais natural.

Astrônomos examinaram a hipótese de que essas pequenas mudanças na luz poderiam vir de atividade estelar e distúrbios como manchas na própria estrela. Mas por outro lado, não faz sentido. Pequenas diminuições na luminosidade estão longe de durar alguns dias ou semanas como as manchas solares. Resumindo: por enquanto, o mistério permanece. Não sabemos o que é.

O artigo científico pode ser encontrado em Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Socientifica

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.