Homem-Aranha Longe de Casa: uma boa comédia para adolescentes

Por redação Ipu Online | publicado | 4.7.19 | 0 comentários


Homem-Aranha: Longe de Casa estreia nesta quinta-feira nos cinemas com uma grande responsabilidade: dar continuidade ao universo Marvel depois da segunda-fase da série de filmes encerrada com o épico Vingadores Ultimato. 

Os produtores tomaram a decisão correta ao buscar um caminho mais leve, despretensioso até. A ideia certa. A execução errada.Em resumo, o filme é basicamente uma comédia para adolescentes. Desperdício

Não há espaço para a excelente Zendaya desenvolver a personalidade forte do crush de Peter Parker. Foto: Divulgação
Há os momentos de ação, claro. Mas o roteiro é de uma infelicidade só. Ótimos atores mal aproveitados.  Para ficar num exemplo, MJ, a melhor personagem do longa, está perdida no longa. Não há espaço para a excelente Zendaya desenvolver a personalidade forte do crush de Peter Parker. O mesmo acontece com Jake Gyllenhaal. Uma lástima. A tram com Mysterio e os Elementais, aliás, é o pior do filme.

É óbvio que ninguém espera ver um enredo muito realista num filme de super-herói. Mas é preciso haver um mínimo de verossimilhança para que o espectador se envolva com a história. Mas a narrativa não convence, não coquista. O roteiro parece uma colcha de retalhos mal remendados. É forçado.

A motivação do vilão é rasa, assim como o plano de Peter Parker com relação a MJ e os momentos dos dois juntos. 

Outra coisa que atrapalha é o culto a Tony Stark. Ele virou uma referância onipresente e atentativa de justificar o porquê do endeusamento é mais um elemento forçado.

Em outras palavras, o filme simplesmente não funciona. A ideia de recomeçar com leveza depois de Vingadores Ultimato acabou tornando o filme irrelevante. Bons momentos

Grandes atores são mal aproveitados no filme. Foto: Divulgação
Claro que há bons momentos. Quem acompanha o universo Marvel não se arrrependerá de ir ao cinema. O filme, inclusive, começa bem.Divertido. Temos nele talvez a melhor trilha de abertura para um filme da Marvel. Explciar mais estraga a surpresa.

E logo temos uma explicação didática (de uma forma que reforça um roteiro sem criatividade) explica como o mundo se organizou depois do retorno de metade dos seres do universo, visto em Ultimato.

Mas não há nenhuma grande cena, algo que impacte, leva a plateia ao delírio. Há tentativas. Os fãs mais fieis vão dar um grito de vibração. Só isso. Depois de Capitã Marvel e Ultimato, decepciona. Este talvez seja pior filme do MCU junto com Thor: Mundo Sombrio.

A melhor cena, para se ter uma ideia, é a primeira pós-crédito! Só que ela dá um nó na cabeça quando pensamos como o que foi mostrado ali se desenvolverá no futuro. 

Era melhor ter ficado em casa mesmo. Ah, e Nick Fury aparece bem menos do que se esperava no filme.

Nota: 6,0.

Diário do Nordeste



Arquivado em:

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.