Mulher é atingida por estaca de madeira durante possível tentativa de roubo

Por redação Ipu Online | publicado | 3.7.19 | 0 comentários


Uma vigilante de 32 anos quase foi morta na DF-451 quando um homem, de 26 anos, jogou uma estaca de madeira contra o para-brisa da vítima. O caso ocorreu por volta das 5h40 de domingo (30/6), quando ela seguia do Incra 7 para o trabalho, em Santa Maria. O suspeito, Jaime Pereira da Silva, foi preso em flagrante. No entanto, ele foi posto em liberdade nesta terça-feira (2/7), em audiência de custódia.

A mulher conduzia o carro na estrada quando avistou pedaços de madeira jogados na pista, na área próxima ao Gol de Placa e ao Centro de Evangelização Renascidos em Pentecostes, em Ceilândia. Para não parar o automóvel, desacelerou, com o objetivo de desviar dos obstáculos. Nesse momento, a vigilante avistou Jaime surgindo do acostamento com uma estaca em mãos.

“Quando o avistei, me arrepiei toda. Acho que até minha alma saiu do corpo. Eu só pensei: 'Meu Deus, me ajuda', e abaixei a cabeça. Quando eu levantei o rosto, eu não enxergava mais nada com o olho esquerdo. Consegui ver a estaca no vidro do carro e, nessa hora, me desesperei. Pensei que ia ficar cega. Só consegui pedir ajuda a Deus”, relata a vítima.

Mesmo ferida, a mulher conseguiu dirigir por alguns metros em busca de ajuda. Um motoqueiro que viu a situação acionou uma viatura do Departamento de Trânsito (Detran), que estava na rodovia. Em seguida, auxiliou a mulher, ligando para o marido dela, para o Corpo de Bombeiros e para a Polícia Militar. 

Socorro e prisão
A vítima foi encaminhada para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), onde precisou levar 40 pontos. À noite, após receber alta, ela compareceu à 24ª Delegacia de Polícia (Setor O), onde Jaime estava preso em flagrante por lesão corporal e dano qualificado. O homem não foi enquadrado em outro crime por falta de provas que sustentassem o objetivo do acusado em roubar o carro da vítima.

Vídeos realizados no momento em que Jaime foi detido mostram que ele estava alterado. Segundo o delegado Ricardo Viana, chefe da 24ª DP, o homem estava visivelmente sob o efeito de álcool ou drogas. Para contê-lo, foi preciso fazer uso de força. Mesmo algemado, ele ficou se debatendo.

“Ele não conseguiu prestar esclarecimentos, apenas disse que não havia arremessado o objeto no carro da vítima”, afirma o delegado. Ainda na unidade policial, Jaime alegou estar passando mal e, por isso, precisou de atendimento dos bombeiros.

Segundo o delegado Ricardo Viana, Jaime tem quatro passagens por furto. “Trabalhamos com a hipótese de roubo. Temos ainda 30 dias para finalizarmos o inquérito para ser entregue à Justiça e, neste período, vamos apurar todos os fatos. Ainda hoje, vamos coletar novos depoimentos de testemunhas. Se conseguirmos provar que a intenção do suspeito era levar o veículo, ele poderá responder até por uma tentativa de latrocínio”, afirma.

Estado de Minas

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.