Turistas de Brasília sofrem tentativa de estupro em praia de Recife

Por redação Ipu Online | publicado | 9.7.19 | 0 comentários

Populares viram e saíram em defesa das mulheres. Parte delas teria tentado linchar o acusado, que se jogou no mar e começou a nadar para tentar fugir

(foto: Ricardo Fernandes/DP )
Duas turistas de Brasília foram vítimas de um ex-presidiário, que teria tentado estuprá-las enquanto elas faziam um passeio no Forte Orange, na Ilha de Itamaracá, na tarde dessa segunda-feira (8/7). De acordo com informações preliminares da Polícia Militar (PM), Leonardo da Cunha Monteiro, 28 anos, teria se aproximado das mulheres e anunciado um assalto, enquanto elas estavam caminhando na praia.

Nesse momento, ele teria tentado levá-las para um matagal e estuprá-las. As duas, que têm 37 e 39 anos, teriam tentado reagir e foram golpeadas com um pedaço de madeira. "Elas iniciaram uma briga com ele, impedindo o estupro. Porém, foram atingidas e ficaram com hematomas na cabeça, nas pernas e nos braços", afirmou o major Alan Monteiro, comandante da 3ª Companhia do 26º Batalhão da Polícia Militar (BPM).

O suspeito de praticar o ato estava com sinais de consumo de drogas. Populares viram e saíram em defesa das mulheres. Parte das testemunhas teria tentado linchar Leonardo, que se jogou no mar e começou a nadar para tentar fugir. "Quando a polícia chegou, ele já estava nadando. Então, conseguimos efetuar a prisão", acrescentou o major Alan monteiro.

O suspeito foi levado para a Delegacia da Ilha de Itamaracá, onde negou ter cometido o crime. Entretanto, ele foi reconhecido pelas vítimas. As duas mulheres foram encaminhadas para uma unidade hospitalar da Ilha, onde estão sendo atendidas. Leonardo já tem duas passagens pela polícia. Em uma delas, ficou preso durante seis meses por assalto. Na outra, passou seis meses preso por ser enquadrado na Lei Maria da Penha. Leonardo está solto há cerca de um ano.

Diário de Pernambuco

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.