Padre é preso suspeito de abusar de jovem após oferecer indicação para seminário

Por redação Ipu Online » publicado | 28.8.19 | 0 comentários

Rapaz de 18 anos teria sido mantido em cárcere privado após chegar em Palmas atraído pela promessa de um indicação para o seminário. Padre Marco Aurélio Costa da Silva já tinha sido preso em 2015.
Padre foi preso por manter jovem de 18 anos em cárcere privado e abusar sexualmente dele - Divulgação
O padre Marco Aurélio Costa da Silva foi preso no começo da noite desta segunda-feira (26) em Palmas suspeito de abusar sexualmente de um jovem de 18 anos. O rapaz, que é natural de Pernambuco, disse à Polícia Civil que veio ao Tocantins atraído pela promessa de uma carta de indicação para o seminário. O padre teria dito que a carta só seria válida se assinada de próprio punho e convencido o rapaz a fazer a viagem.

A vítima contou que era mantida em cárcere privado desde a última quinta-feira (22). Ele afirma que o padre tentou embebedá-lo na primeira noite e forçou relações enquanto ele estava preso no apartamento. O rapaz afirma que só conseguiu fugir após o padre esquecer a chave na porta.

Marco Aurélio Costa da Silva já tinha sido preso em 2015 suspeito de mostrar pornografia para um adolescente de 16 anos em Gurupi, sul do estado. Na época, ele era padre de uma paróquia em Peixe. Ele foi liberado alguns dias depois e estava suspenso das atividades da igreja, de acordo com a Diocese de Porto Nacional, desde 2018.

A Diocese repudiou ainda quaisquer atos que violem a integridade humana e se colocou a disposição da vítima. Disse ainda que deixa o caso nas mãos da Justiça.

O padre foi abordado pela equipe da TV Anhanguera saída da delegacia de plantão para o presídio, mas não quis dar declarações.

O rapaz apresentou ao delegado uma série de mensagens trocadas nas redes sociais entre ele o padre. No boletim de ocorrência o caso foi registrado como estupro e tráfico de pessoas.

G1 TO

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.