Trombonista Raul de Souza faz show de graça para festejar seus 85 anos

Por redação Ipu Online » publicado | 24.8.19 | 0 comentários


O nome dele é João José Pereira de Souza. Porém, ficou famoso mundo afora como Raul de Souza. Neste sábado (24), esse trombonista e saxofonista carioca  comemorou seus 85 anos, completados, com um show gratuito em BH.

São 65 anos de carreira. E o apelido Raul tem um padrinho famoso: o mineiro Ary Barroso, compositor, radialista e locutor esportivo. O “batismo” se deu no programa Calouros em desfile, transmitido pela extinta Rádio Mayrink Veiga, do Rio de Janeiro. “Ali virei Rauzinho, mas quando me mudei para os Estados Unidos, onde morei de 1973 a 1986, resolvi adotar Raul de Souza. Pegou”, conta o músico.

Autodidata, ele começou a aprender a tocar trombone aos 16 anos, no bairro carioca de Bangu, onde nasceu. “Não tinha dinheiro para comprar um sax. Depois, achei essa minha decisão muito sábia, pois não faltavam bons saxofonistas no Brasil. A concorrência dos trombonistas era bem menor”, lembra.

A frustração durou pouco, pois o pai lhe deu um sax de presente. Mas o trombone o conquistou. “Comecei tocando sozinho mesmo, observando músicos virtuosos como o americano Frank Rosolino, que depois se tornou meu amigo e veio ao Brasil trazido por mim”, comenta.

O repertório deste sábado foi diversificado. “Vamos fazer uma miscelânea de vários discos meus”, adianta Raul, que será acompanhado por Fábio Torres (piano), Paulo Paulelli (baixo) e Márcio Bahia (bateria).

Do alto de seus 85 anos, o experiente trombonista garante: “Se o espírito é jovem, a matéria vai junto, pois ela o acompanha. Eu me sinto maravilhosamente bem, tenho muitos concertos pela frente, tanto no Brasil quanto no exterior.” Na segunda-feira, aliás, ele vai para Curitiba gravar seu novo álbum. Em setembro, volta à França para conhecer a neta caçula e fazer mais shows.

Raul trabalhou com Sérgio Mendes, Flora Purim, Airto Moreira e Milton Nascimento, além dos jazzistas Sonny Rollins e Cal Tjader, destaques nos EUA. Também fez parte da Turma da Pilantragem, grupo formado em 1968 por Nonato Buzar, que fez muito sucesso com sua originalidade e suingue.

SOUZABONE
Além de instrumentista respeitado, Raul é inventor. Criou o Souzabone, instrumento elétrico com quatro válvulas – o trombone tradicional tem três. “Em novembro, farei uns concertos no Japão e na China. Quero ver se negocio com alguma empresa de lá a industrialização do Souzabone”, diz.

A abertura do espetáculo de amanhã ficou a cargo do mineiro Rafael Martini, compositor, arranjador e pianista “tricampeão” do Prêmio BDMG Instrumental, que apresentará o show Vórtice. Ele dividirá o palco com Davi Fonseca (piano e teclado), Paulim Sartori (baixo) e Yuri Vellasco (bateria).

BH INSTRUMENTAL
Com Raul de Souza e banda. Abertura: Rafael Martini Quarteto. Sábado (24), às 19h30, na Praça Floriano Peixoto, Bairro Santa Efigênia. Entrada franca.

Élcio Paraíso/Divulgação

UAI

Arquivado em: , ,

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do Ipu Online.