Arqueólogos desvendam segredo de sarcófago milenar em Mainz

Por redação Ipu Online » publicado | 27.11.19 | 0 comentários

Estudo em fragmentos de tecido confirmam que restos mortais são de arcebispo Erkanbald, que morreu em 1021. Descoberta revela ainda que Igreja de São João foi a primeira catedral da cidade.

Sarcófago foi descoberto em escavação de igreja
Cinco meses após a abertura de um sarcófago de mil anos encontrado na Igreja de São João, em Mainz, no oeste da Alemanha, arqueólogos revelaram nesta quinta-feira (14/11) a identidade da pessoa que foi enterrada no local. Trata-se do antigo arcebispo da cidade Erkanbald.

Segundo o arqueólogo que coordenou as pesquisas, Guido Faccani, fragmentos têxteis foram as pistas decisivas para a identificação dos restos mortais. Os restos de lã encontrados no sarcófago seriam parte de um pálio, que eram dados por papas romanos a seus arcebispos.

No sarcófago, foram encontrados ainda sapatos nobres de couro fino de cabra, semelhantes aos utilizados por outros bispos da época.

O túmulo foi descoberto no ano passado durante uma escavação na Igreja de São João, que é a mais antiga de Mainz, e aberto em junho. Na época, os pesquisadores não foram capazes de identificar a pessoa enterrada no local. Como o corpo foi tratado com cal antes do enterro, pouco restou no sarcófago. Havia apenas alguns vestígios do esqueleto. O crânio estava completamente dissolvido.

Determinada por datação por carbono, a data de morte, que foi limitada entre 950 e 1050, foi uma indício que contribuiu para a identificação de Erkanbald, que morreu em 1021. Segundo fontes escritas, Erkanbald teria sido enterrado em sua igreja.
Fragmentos de tecidos foram fundamentais para descoberta
Pouco se sabe sobre Erkanbald. Sua data de nascimento não é clara. Ele viria de uma família de condes da região de Braunschweig. Em 997, teria se tornado abade em Fulda, um centro de poder na época. Poucos anos depois, participou da coroação de Henrique 2º em Mainz. Em 1011, se tornou arcebispo da cidade.

Segundo a antropóloga Carola Berszin, as pesquisas mostram que Erkanbald tinha entre 40 e 60 anos quando morreu, sofria de doenças que atingiam os mais abastados, como gota, e tinha 1,83 metros de altura e pesava cerca de 70 quilos. A análise do DNA que fornecerá mais informações sobre a região de nascimento dele ainda não foi concluída.

As descobertas revelam ainda que a igreja de São João foi a primeira catedral da cidade, que foi fundada pelos romanos no século 1º, além de ser uma das igrejas mais antigas da Alemanha.

CN/epd/afp/kna

Arquivado em:

0 comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Ipu Online; a responsabilidade é do autor da mensagem.