Polícia divulga identidade de médicos formados na Bolívia que atuavam ilegalmente no Ceará

Por redação Ipu Online » publicado | 13.1.20 | 0 comentários

Eles se formaram na Bolívia e não têm autorização para atuar no Brasil.

Rafael de Andrande Fernandes, de 22 anos, e Lucas Ferreira Guimarães, de 28 anos, estão foragidos. Reprodução / Polícia Civil
Dois médicos formados na Bolívia são procurados pela Polícia Civil suspeitos de atuar como falsos médicos no Maciço de Baturité, no Ceará. Rafael de Andrade Fernandes, de 22 anos, e Lucas Ferreira Guimarães, 28, não têm revalidação do diploma para atuar no Brasil e devem responder por peculato, estelionato e falsidade ideológica. Na última sexta-fera (10), uma operação prendeu um estudante de medicina e um enfermeiro no mesmo caso.

Rafael Fernandes tem o último endereço registrado em Alto Santo e, Lucas Guimarães, em Tabuleiro de Norte. A população pode ajudar nas investigações pelo número do Disque Denúncia (85) 99921-8236

A operação "Filhos de Hipócrates" teve quatro mandados de busca e apreensão e dois de prisão cumpridos nas cidades de Alto Santo, Fortaleza, Paraipaba e Tabuleiro do Norte. A Polícia Civil passou dois meses investigando o esquema de exercício ilegal da profissão.

A apuração começou após um homem ser flagrado em um plantão médico de um hospital de Mulungu, no maciço de Baturité, em novembro de 2018. A partir daí, a Polícia descobriu o esquema.

O grupo de falsos médicos atuava em plantões na Unidade de Pronto Atendimento de Baturité entre 2017 e 2019 e hospitais da região. Eles utilizavam números de CRM (código de profissionais registrados no Conselho Regional de Medicina) copiados da internet.

Diário do Nordeste

Arquivado em: ,

0 comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do Portal Ipu Online; a responsabilidade é do autor da mensagem.