Ceará supera 68 mil casos de Covid-19; mortes confirmadas são 4.309

Por redação Ipu Online » publicado em | 9.6.20 | 0 comentários


Ceará superou a marca dos 68 mil infectados por Covid-19 e registrou 4.309 óbitos por complicações da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, gerida pela Secretaria de Saúde (Sesa) e atualizada às 14h23 desta terça-feira (9). No total, são 68.384 casos do novo coronavírus, com taxa de letalidade de 6,3%.

A maioria dos registros é de Fortaleza, epicentro de contaminação no Estado. A Capital tem 2.615 mortes e 28.366 pacientes contaminados com o SARS-CoV-2.

Com avanço da doença para o interior, o município com mais casos na região é Sobral (3.193). No eixo da Região Metropolitana, Caucaia (2.629) lidera com destaque negativo.

Vale ressaltar que o saldo final de infectados pode crescer pelos dados em investigação. A Sesa monitora 55.373 casos suspeitos e 639 óbitos.

O montante de exames de diagnóstico aplicados é 158.214. Desde o início da pandemia, 48.847 pessoas conseguiram se recuperar da infecção. Ainda não há provas científicas sobre a possibilidade de um indivíduo adoecer duas vezes do novo coronavírus.

A plataforma também indica que 81,57% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão ocupados, e 67,11% das enfermarias. O indicativo é importante para a manutenção do plano estadual de retomada da economia, instaurado no dia 1º de junho com previsão de flexibilização das medidas de isolamento social caso a incidência da doença apresentasse declínio no Ceará.

Até o momento, Fortaleza é a única cidade na Fase 1 do projeto, com autorização para reabertura de 18 segmentos, incluindo o comércio. As demais cidades estão em etapa de transição ou decreto de lockdown, quando se libera apenas serviços essenciais.

Curva de óbitos 

Dados do Sistema de Monitoramento Preditivo (SIMOP), consideram que a curva de óbitos por Covid-19 deve sofrer estabilização a partir de julho em Fortaleza. O sistema é desenvolvido pela Univeridade Federal do Ceará e leva em conta dados disponibilizados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa). Por volta do dia 15 de julho, 90% das mortes deverão ter acontecido. 

O SIMOP leva em conta os casos confirmados, o nível de testagem, a taxa de ocupação de leitos e UTIs e também o impacto de subnotificações e de casos assintomáticos.

Diário do Nordeste



Arquivado em:

0 comentários

Os comentários abaixo não representam a opinião do Ipu Online; a responsabilidade é do autor da mensagem.